quarta-feira, 6 de março de 2013

E quando...

... nada parece funcionar?

O João anda numa fase péssima. Ou então sou eu que não sei mesmo lidar com isto das birras. Tem dias maravilhosos. E depois tem outros em que, do nada e por coisas de nada, descompensa. Fica completamente descontrolado - mas descontrolado mesmo! - e nada o faz parar e acalmar. Tentar conversar não resulta. Uma palmada não resulta. Gritar não resulta. Deixá-lo espernear até se cansar não resulta. Pô-lo no quarto não resulta. Os castigos não resultam. Leva-me ao desespero porque não sei mesmo o que fazer para que ele se acalme.

Num dia foi porque queria pão antes do almoço e eu não lhe dei. Hoje foi porque embirrou que queria levar bolachas para lanchar na escolinha - porque é o que um dos colegas dele leva para lanchar - e eu disse que não - ele lancha sempre iogurte e pão. Basicamente, é o "não" e o ser contrariado que desencadeiam estes ataques. Hoje, a caminho do infantário, tive que parar o carro duas vezes para ver se ele se acalmava e tive que lhe dar uma palmada... foi o caminho todo a gritar, a contorcer-se, a chorar e a dar pontapés nas costas do meu banco. E, seja porque motivo for, vai sempre a chorar e a gritar o que quer na altura - hoje era o "mas eu quero levar bolachas para lanchar na escola". Isto repetido até ao infinito. E a minha paciência, com muita pena minha, não é infinita...

Sinto-me frustrada e fico triste com isto. Não sei mesmo, de todo, o que possa fazer mais.

10 comentários:

Full-time Mom disse...

O meu também me costuma fazer dessas. Ultimamente tem sido o "eu quero". Ora vai a casa do primo que tem play-station e embirra que tb quer e que temos de ir comprar uma imediatamente, ora vamos ao supermercado e embirra que quer um ovo kinder (e nem sequer gosta de chocolate! é só por causa do boneco), enfim... Ontem foi na piscina, queria uns óculos de natação ali e já!
O que costumo fazer é mostrar que não tem hipótese. Digo-lhe que não dou, que pode chorar à vontade, que não é a portar-se mal que vai ter o que quer e ponto final. Conto até 10 e ignoro a birra, acaba por passar.
Acho que é importante não valorizares a birra, eles fazem-no para chamar a atenção e se não tiverem audiência acabam por desistir. Por vezes é pior se tentarmos conversar, distrair, explicar o porquê do não, com isso estão a conseguir a tal atenção, que é precisamente o que não devem conseguir com uma birra.
Um beijinho e não valorizes nem stresses com o assunto :)

MVE disse...

A Matildinha (2.5 anos) no outro dia queria porque queria algo (já nem me lembro o que era) e deitou.se no chão... em casa... e eu... "olha um tapete Matildinha, que lindo que ele fica no chão" e segui a fazer o que estava a fazer... ela desistiu!!
Mas anda com o "mas a Matilde quer" na boca...
Há que ter paciencia....
BJinhos

Catarina disse...

O quanto eu te entendo, mas os meus é x2. Até parece que sincronizam os relógio para fazer ao mesmo tempo as suas birrinhas....
Até sou chamada de "tu és má!".
Ora nem mais....

Anónimo disse...

Birras foi o que eu mais aturei nas últimas semanas, a última foi ontem numa grande superfície, depois da ir buscar ao colégio mas aí correu mal para o lado dela, não parava de gritar e atirar-se para o chão, aí tomei uma atitude radical, levei-a à casa de banho levantei-lhe a saia e dei-lhe umas valentes palmadas , daquelas que deixam a mão marcada no rabo quando lhe fui dar banho ainda tinha o rabo vermelho. Em 4 anos foi a primeira vez que levou palmadas a sério, nunca lhe tinha dado tantas palmadas duma só vez. Agora estou aqui cheia de remorsos pelo que fiz, sei que exagerei. Hoje quando a fui acordar enchia de beijos e abraços e pedi-lhe desculpa, não sei se fiz bem ou mal, mas na altura senti essa necessidade.

Anónimo disse...

Birras foi o que eu mais aturei nas últimas semanas, a última foi ontem numa grande superfície, depois da ir buscar ao colégio mas aí correu mal para o lado dela, não parava de gritar e atirar-se para o chão, aí tomei uma atitude radical, levei-a à casa de banho levantei-lhe a saia e dei-lhe umas valentes palmadas , daquelas que deixam a mão marcada no rabo quando lhe fui dar banho ainda tinha o rabo vermelho. Em 4 anos foi a primeira vez que levou palmadas a sério, nunca lhe tinha dado tantas palmadas duma só vez. Agora estou aqui cheia de remorsos pelo que fiz, sei que exagerei. Hoje quando a fui acordar enchia de beijos e abraços e pedi-lhe desculpa, não sei se fiz bem ou mal, mas na altura senti essa necessidade.

Sílvia disse...

Berra como se o tivesses a matar? a Francisca faz isso... agora menos vezes, mas quando faz é do pior. Depois só se quer agarrar a mim, a pedir colo... uma coisa do outro mundo, sempre aos berros, gritos e com um desespero tal que me deixa doente.
Já tentei de tudo e nessas alturas, nada resulta.
Quando encontrares a solução avisa-me.
Beijinhos

jmalho disse...

Não há soluções milagrosas para esses estados-de-possessão-de-meninos-com-quase-5-anos...acho até que faz mais e piores birras agora do que quando era mais pequeno.

Cá em casa também vou tendo dias assim... comigo costuma resultar não lhe ligar nenhum, nem sequer olhá-lo nos olhos (e ele bem que procura) mas confesso que, por vezes é dificil...

Se perdi a cabeça e lhe dou uma palmada (que fico a remoer durante horas) costumo mandá-lo acalmar-se para o quarto(entenda-se deitado na cama) e peço que me chame quando achar que está mais calmo e for capaz de conversar comigo decentemente.
Costuma resultar ;)
Depois vem a conversa do "já estás crescido para isto,mimimimi....." e as desculpas sentidas.

Também usa comigo a táctica de pedir-até-à-exustão e confesso que me dá nos nervos mas tento fingir que não o ouço.

Melhores dias virão, tenho a certeza!
Bjinhos solidários

Barriguita disse...

não tenho a fórmula mágica. O Pedro já passou essa fase, a Clara ainda está nessa... é de levar qualquer uma ao desespero, especialmente quando se carrega outra criança na barriga ( a fase das birras do Pedro também coindiciu com a minha gravidez da Clara, os gajos devem escolher!).
Muita paciência é o que se precisa ( mas às vezes esgota-se mesmo!)
beijocas

Mamã Nocas disse...

Nunca me aconteceu tal coisa...
Sim também fazem birras, mas não tão grandes e cá em casa a palmada resulta.
GRAÇAS A DEUS!!!!
Melhores dias virão e realmente eles têm dias muito maus.
A Margarida anda assim muito birrenta.

Beijinhos e muita calma

Gaiatas disse...

Por cá castigos e umas palmadas costumam resultar..

Beijinhos com paciência!