segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Depois do lanche

Depois do lanche o João quer brincar. Como mãe galinha que sou, vou sempre pô-lo ao jardim de infância quase em cima das 9h30, hora limite para a entrada, e vou buscá-lo às 16h, hora a que começam as saídas. Mas, depois do lanche eles costumam ir brincar... e eu já levei com o recado dele "n" vezes... é para o ir buscar depois do lanche, mas só depois de ele brincar um bocadinho. Para eu ir "muito, muito, muito, muito, muito, muito tarde". E eu até tenho ido. Tenho ido por volta16h30/16h45. Mas pelos visto não chega. Mãe sofre! :)

Cá em casa...

... já é Natal :)
















Fizemos a árvore e o presépio no sábado e até agora nem tem corrido mal de todo. A Rita ataca as bolas. O João brinca com as personagens do presépio. Uma festa, portanto! :)

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Dos presentes

Já me decidi quanto às lembranças para a educadora e auxiliares do João. Vou fazer estas bolachas de natal com ele e compota de morango com framboesas. Ontem já fui ao "De Borla" para me abastecer de caixinhas de alumínio para pôr as bolachinhas e frascos para doce tenho cá em casa aos montes :)
Vamos cravar o tio para fazer um rótulo catita e um cartãozinho personalizado et voilá!

Também me vou aventurar a fazer o Bolo de Natal na lata para oferecer a outras pessoas. Podem ver a receita AQUI, é uma ideia muito gira!
...
ADENDA
As latas que comprei são estas da fotografia. Vêm em conjuntos de 3, umas metidas dentro das outras; a maior é do tamanho das latas de bolachas de manteiga que se encontram nos supermercados. Custa (cada conjunto de 3) 1,99€ no De Borla e são presença assídua cá em casa porque me dão imenso jeito. Além de biscoitos e bolachas também dão para guardar os rebuçados e outras guloseimas - uma delas, por exemplo, está cheia com as gulosices que os miúdos receberam no pão por Deus. Também guardo nozes e outros frutos secos.

Para os doces e compotas uso frascos vazios de Nutella - que cá em casa há com fartura... - e no IKEA também há uns frascos muito giros, mais pequenos, que dão para o efeito. Tenho alguns tecidos de Natal que comprei na feira e vou pedir à minha sogra para me fazer uns quadradinhos para cobrir a tampa, ponho um elástico, prendo o cartão de boas festas e fica feito.

Há dois anos fiz bolachas para oferecer a familiares e amigos no Natal e usei celofane verde e vermelho para as acondicionar, não ficou mau de todo, mas prefiro as caixas - que acabam por não ficar assim tão caras e fazem um efeito mais composto - na minha modesta opinião, que não tenho jeitinho nenhum para trabalhos manuais - e a pessoa acaba por receber os biscoitos ou o bolo e fica também com a caixa que pode ter outras utilidades.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cá em casa...

... começa a cheirar a Natal. Ainda não temos a árvore montada nem decoração alusiva à época - talvez o façamos no próximo fim-de-semana -, mas já se entrou no espírito. E, como tal, no Domingo de manhã decici que estava na hora de fazer uma sessão fotográfica caseira com os miúdos para depois o tio Rui fazer o postal de Natal. Tendo em mente a comédia/terror/camada de nervos que foi o ano passado, este ano subornei o João - prometi-lhe um miminho se ele se portasse bem enquanto os fotografava - e até lhe pús um bocadinho de gel no cabelo. Mesmo assim, tivemos chapada, beliscões, puxões e empurrões de parte a parte, mas até correu bem e foi rápido. Precisava de 3 fotos. Tirei 200. Ficaram bem 38. Saldo positivo :)

Especialmente para a avó Sofia, que tem andado um bocadinho em baixo, aqui fica uma pequena amostra (nenhuma destas faz parte dos "final 3").

Vacina

Hoje foi dia de Istivac infantil para a Rita - segunda dose.
Assim que viu a enfermeira com a seringa começou logo a chorar... é o que dá andar a ser picada a torto e a direito - por motivos que, infelizmente, assim o exigem - desde os 6 meses. Acalmou com muito embalo ao meu colo e já está bem disposta outra vez.

Daqui a um mês estaremos de volta para a vacina dos 15 meses (que, por causa das duas doses que precisava de levar da istivac, ficou adiada para os 17 meses).

sábado, 19 de novembro de 2011

Para miúdos (e graúdos)

Hoje fomos à KidZania com o João e com as nossas sobrinhas - a Rita ficou na avó que ainda é muito "mini-mini" para estas andanças. Entrámos às 11h em ponto, pensando que depois do almoço estaríamos despachados, mas só saímos já passava das 17h. Aquilo é fantástico! Mesmo para os adultos, que não podem participar ativamente em nenhuma atividade, é "bom mas bom" sentir aquela energia e o entusiasmo que nos transporta à nossa infância - e à deles. Os miúdos ficaram encantados e desfrutaram verdadeiramente de todas as experiências. Ia um pouco renitente e não imaginava sequer o mundo que se encontrava lá dentro. Acho que pela carinha sorridente do João, dá para ver que ele a-d-o-r-o-u!












Começámos por ir ao Banco trocar os cheques que lhes dão à entrada por Kidzos (a moeda oficial da cidade) e, depois, o João trabalhou no Centro de Reciclagem, na construção de casas, fez pinturas numa galeria, tirou a carta de condução, fez o seu hambúrguer no McDonalds - e comeu-o, coisa que me deixou pasma porque, até hoje, sempre se tinha recusado a provar, quanto mais a comer um inteirinho! -, deu uma voltinha de carro num dos bairros da cidade, fez nectar de pêra na Compal e gelados na Olá!.











No quartel dos bombeiros foi com o restante grupo, em missão, num carro de bombeiros, para irem salvar um "cãozinho". É impagável o entusiasmo dele! No fim de todo o trabalho e dos momentos de lazer chegou a hora de fazer render os Kidzos que restavam na loja de "souvenirs" exclusiva para eles e para as notinhas que ganharam a trabalhar arduamente. Escolheu um Puzzle sobre reciclagem - que, curiosamente, é o tema do Projeto Pedagógico da escolinha dele.












Antes de virmos para casa ainda fomos lanchar ao Starbucks - e eu não resisti a provar uma fatia daquele apelativo bolo chamado "Red Velvet".

Um dia à maneira! Recomendo a visita, que vale mesmo a pena! :)

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

As coisas que uma mãe tem que ouvir...

... (e sorrir), enquanto pensa: WTF?

Diz o João, quando entro na WC para lhe limpar o rabiosque (sim, que a excelência fecha a porta e exige ficar sozinho, só nos chamando quando é para pôr a mão na massa):

- Ai!!! Pensava que era um monstro! Afinal és tu.

LOL! WTF?

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

16 meses

A nossa diabreta já faz 16 meses!
Está linda, esperta, reguila, destemida, descarada, meiga, mimenta, vaidosa, obstinada e desenrascada.
Anda tão entretida a treinar as suas competências motoras, que se vai desleixando da linguagem. Mas já diz "mamã", "mãeeeeee", "papá", "paiiiiiii", "já tá" e "pa" (pato).
Quando lhe dizemos que está na hora de comer, vai à gaveta buscar uma das suas colheres e depois senta-se na cadeirinha dela. Desde que começou a querer comer pela sua própria mão que se acabaram as birras para comer a sopa. A minha "meia-leca" come tanto ou mais que o irmão - só vendo, mesmo!
É uma princesinha numas coisas e noutras parece um rapazinho (é o que dá ter um mano :))
Adooooooora música e dança que se farta! Tenho uns vídeos dela a dançar Caetano Veloso e a dançar a música da Popota - ela não é esquisita - que são de chorar a rir. É que ela dança a andar à roda sobre ela mesma, não sei como ainda não caiu redonda no chão com tonturas :)
É a minha menina, que eu amo mais do que tudo na vida - a ela e a outro rapazinho lindo que eu conheço ;). São muitas as vezes em que dou comigo de lágrimas nos olhos só a contemplá-la (mesmo que esteja a fazer disparates). Milhões de  vezes tê-la a fazer todos os disparates possíveis do que ter que a ver mais alguma vez numa cama de hospital.
Quem te viu e quem te vê, filhota!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Magusto

Ontem foi dia de Magusto no jardim-de-infância do João. Ficou todo contente quando viu chegar a mamã, o papá, a mana, a avó "E'muínda" e a avó Cacão (bisavó) para a festa da escolinha dele. Foi giro, foram bastantes pais e avós e os miúdos estavam todos numa algazarra. Ainda se conseguiu ir para o recreio durante meia hora, mas depois fomos brindados com aguaceiros. E ainda trouxe para casa um saquinho em forma de castanha, com um cartuxo com duas castanhas lá dentro, feito por ele - com muita ajuda, claro! :)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Perguntinha

Digam-me, por favor, se costumam oferecer alguma lembrança à educadora e auxiliar(es) dos/as vossos/as filhotes/as, no Natal. Sou caloira nestas andanças, mas tenho a ideia que sim, que se costuma dar qualquer coisa. Estava a pensar em ofertas "home made", como bolo na lata, doces ou compotas, biscoitos ou algo do género. Ideias? Imensamente grata!

domingo, 13 de novembro de 2011

É (também)...

... de fins-de-semana assim que eu gosto. Praticamente não pusemos os narizes na rua. Convidámos os avós paternos e as primas para um lanche de São Martinho com direito a castanhas assadas e água pé. Fiquei a saber que a Rita sai ao pai e adora castanhas. Já o João sai a mim e passa bem sem elas. Fizemos pão caseiro e bolachinhas de Natal. Fiquei ainda a saber que a Rita prefere as nossas bolachas às de compra e parecia uma pequena trituradora. Foi um fim-de-semana caseiro, de molenguice e miminhos. Um fim-de-semana de panquecas com nutella ao pequeno-almoço. Foi bom, mas bom! E agora deixa-nos lá ficar a "apreciar" a trovoada enquanto revemos o filme preferido do João atualmente: "Como treinares o teu Dragão".

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Bendito sejas...

... querido blog, porque em ti registo tudo e mais alguma coisa. O que, já por diversas vezes, mas hoje em especial, me permitiu ter acesso fidedigno a informações preciosas!

No laboratório já não têm sangue para analisar, mas no hospital foram impecáveis e deram-me logo a cópia das análises da Ritolas. Já enviei tudo por e-mail à pediatra para ela poder comparar com as mais recentes. Enviei também fotografias da evolução das borbulhinhas e manchas que lhe apareceram na altura e um relatório pormenorizado de tudo o que aconteceu entre o dia 9 e o dia 25 de Julho.

Agora é esperar.
...
Da minha eco, ainda não tenho o relatório, mas a médica disse que está tudo tranquilo, umas pequenas variações em algumas medidas do nódulo, mas nada de significativo. Para o ano há mais.

Agora deixa-me lá ir com o meu Lucas (um dos yorkshires) ao veterinário que o meu "piquinino" pelos vistos tem epilepsia e teve dois ataques numa semana... :(

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Pediatra

Depois de algumas semanas de muita tosse seca (que passou a tosse com expetoração esta semana), muito ranho e "ronronar" no peito, e como estava mais que na altura de levar a Rita à consulta dos 15 meses na pediatra, marquei consulta para hoje e levámos os dois.

Parece que estava a adivinhar. Já não estão tão ranhosos porque a porcaria passou para os brônquios. Da tosse seca tinham passado para a tosse com expetoração... Vieram os dois com indicação para fazer 5 dias de "fuminhos" com atrovent de 12 em 12h e para continuar com o aerius até o tempo estabilizar. Isto é, até chegar o inverno a sério, sem as variações de temperatura que temos tido. E depois é para reavaliar.
Falámos sobre as análises da Rita, que tinham sido pedidas pela médica de família, e a pediatra pediu-me para tentar arranjar uma cópia das análises que lhe fizeram no hospital da última vez que esteve internada (em Julho), para poder comparar os valores com estas (feitas em Outubro). Também gostava que ela fizesse testes (se o laboratório ainda tiver o sangue da colheita) para saber se é alérgica à penicilina e à amoxicilina. Nem me vou alongar muito porque ia dar pano para mangas... Pelo menos não se conformou com a resposta que tenho ouvido de todos os lados: "nunca vamos saber o que a Rita teve". A pediatra acha que podemos, pelo menos, tentar saber um pouco mais e despistar algumas hipóteses. Vamos ver... Amanhã vou ao laboratório saber se ainda têm o sangue e depois sigo para o hospital para ver se me podem dar uma cópia das análises - e depois vou eu fazer a ecografia de controlo anual por causa do nódulo na tiróide.

Quanto ao peso e medidas da Rita, quebrámos, finalmente, a barreira dos 9 kg. Está com 9,330 kg, 77,5 cm e 45 cm de PC. O João está com 16,500 kg e 1,03 m.

À parte do que já referi, está ótima e recomenda-se. A pediatra passou a consulta toda a repetir: "ela não pára; mas ela não pára; ainda bem que ela não pára!"

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Da cozinha

Asneira, da grossa! Agora, em vez de ter uma cozinha para arrumar, tenho duas. Sendo que, por causa da segunda, ando metade do dia - é o que parece - de cú para o ar a apanhar mini pratos, mini talheres, mini tachos e mini alimentos - sim, Sandra, já abrimos um dos presentes :) - para a Rita tratar de espalhar tudo novamente numa fração de segundo. Objetivo a curto prazo: ensinar a miúda a brincar a arrumar cozinhas :)

A minha pitufa

Cá está a minha descarada mai' linda!
E cá estou eu, depois de já ter ralhado com a minha mãe por me fazer estes totós quando era miúda, a fazer exatamente o mesmo à minha filhota. Ups! :)

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Deles

Duas coisas em atraso, que merecem ficar resgitadas. Começamos pelas boas.

Da Rita:
Há uns dias, no FB, vi a foto da filhota de uma amiga virtual com uma palmeirinha na cabeça. Não resisti e desencantei um elástico meu para fazer um pitó igual è Rita. Fica tão, mas tão fofinha! Claro que a madrinha tratou logo de lhe arranjar um carregamento de mini-elásticos para ela andar sempre toda gira - e pirosa. Então e não é que a miúda agora quer andar sempre de penacho na cabeça? Aponta para o elástico para lho darmos e depois leva a mão à cabeça enquanto diz "éh éh" (expressão que ela usa para dizer quero ou dá).

Do João:
Há cerca de duas semanas deixámo-lo sozinho na sala a ver um dvd do Dartacão. Passado um bocado começa a chamar-me a chorar e muito aflito. Como eu estava a fazer qualquer coisa - não me lembro o quê - pedi ao pai para lá ir. Resumidamente, o João estava a jogar à espada com um pau de madeira (de um quadro do IKEA) em frente à TV, a lutar com o Dartacão, e "strás" deu uma espadachada com toda a força no nosso estimado LCD, que, aparentemente, até parece bem, mas que ficou totalmente estilhaçado por dentro e sem imagem... De cada vez que me lembro tenho vontade de chorar...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Cozinha

Na segunda-feira tivemos uma visita antecipada do Pai Natal, que passou por cá para entregar a cozinha da Rita e do João. Encomendámo-la há alguns dias na Imaginarium (colorida ao gosto da mãe e em madeira ao gosto do pai) e, depois de ter sido entregue, pedi ao papá para a montar para lhes fazer uma surpresa. Era para ser presente de Natal, mas eu sou pior que os miúdos e estava doida para lhes mostrar. Como a Rita ainda não sabe o que é o Natal também não faz grande diferença. E para o João foi um presente que chegou só porque sim. Porque também sabe bem receber presentes "fora de época". Eles adoraram e eu também! Ontem já nos prepararam um jantar (mais o João, claro) com direito a chá no final. Aliás, o João já informou que é o "chefe" e a Rita a "ajudante". Diz que aprendeu na escola :)

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Ainda do Pão por Deus...

... e do Dia de Todos os Santos. Há alguns dias fiquei surpreendida porque não me tinha apercebido que há tantas pessoas que não sabem o que é o Pão por Deus. Como desde miúda que me lembro de celebrar este dia, pensava que seria assim por todo o país. Mas, afinal, não. Apesar de ser Lisboeta (no meu caso até sou mais Saloia porque o meu pai me registou como tendo nascido no concelho de Sintra) tenho a família quase toda no Oeste e desde sempre me lembro de ter os saquinhos de tecido, feitos pela minha avó e pela minha bisavó, com os quais pedia o Pão por Deus. Já lá vai o tempo em que este dia, que antecede o dia de finados, era passado em família (alargada). Também já lá vai o tempo em que me considerava uma pessoa religiosa (qb). Apesar de me ter desligado da igreja e do catolicismo, continuo a gostar de assinalar esta data (e outras) porque, apesar de ter a carga negativa associada ao dia de finados e ao terramoto de 1755, tenho boas recordações destes dias - que eram passados em família. Gosto destas tradições que me fazem sentir o coração quente. E, por isso, hoje fomos com os nossos filhos e com as nossas sobrinhas, de porta em porta, pedir o Pão por Deus. Espero poder proporcionar aos meus filhos todas as boas recordações que também guardo da minha infância, independentemente do cariz religioso, e esta é só uma delas.

E não, cá em casa não se festeja o Halloween (pelo menos por enquanto, que os miúdos nem sabem que isso existe...). E eu confesso que não acho piadinha nenhuma...