sábado, 31 de julho de 2010

Duas semanas


Já passaram duas semanas... A nossa menina tem sido muito calminha, muito parecida com o irmão. Esta noite que passou foi a pior de todas. O papá e eu pareciamos duas baratas tontas... cólicas, punzinhos, cagadas, maminha... levámos a noite toda nisto. Será que estamos a enfrentar o primeiro pico de crescimento? Talvez... O leite que tirei esta semana já está no frigorífico, descongelado, para ser usado como reforço esta noite.
...
A Rita já aguenta alguns períodos do dia acordada e gosta de estar na espreguiçadeira e na alcofa. Gosta de passeio. No automóvel adormece instantaneamente; no carrinho - na alcofa - já gosta de ir de pestana aberta, mas acaba por adormecer com os tremeliques.
...
Já foi almoçar fora umas quantas vezes e tem ido ao jardim quase todos os dias. Estamos mesmo satisfeitos com a alcofa, foi cara, mas tem sido muito usada! Além de confortável, sinto-a muito mais protegida lá dentro do que no ovo e é muito mais fácil manter os abelhudos à distância com ela deitada lá dentro. Vai sempre aconchegada e resguardada.
...
Até hoje, tomava sempre a banhoca de manhã mas, depois da noitada de ontem, decidi experimentar passar o banho para as 19h. Banhoca, maminha e agora dorme ferrada. Durante os primeiros dias berrava que nem uma desalmada durante o banho, agora nem por isso. Não vibra de satisfação, mas também já não chora - a não ser que esteja com fomeca.
...
Confirma-se que 24h não chegam para tudo, mas... vai dando para gerir. Multiplica-se o amor, as responsabilidades e o cansaço. E não se multiplicam só por dois, mas por muitos mais. Noto que a grande diferença do primeiro para o segundo é mesmo a descontração de quem, no fundo, até sabe o que faz, lol! A experiência conta - mesmo - muito e já não entro em stress com a rapidez que acontecia com o João. Ando muito mais "zen", mesmo com a rabugice da falta de sono.
...
E assim se passaram já duas semanas, filhota... e há duas semanas a mamã voltou a chorar de alegria - e alívio, lol - quando te senti sair de dentro de mim, quando te ouvi chorar em plenos pulmões, quando te vi e senti pela primeira vez. És a nossa princesa...
...
(É gira, não é?... A minha almofada de amamentação multifunções ;o) É obra desta menina e tem tido muiiiiiiito uso cá em casa!)

sexta-feira, 30 de julho de 2010

A amamentação

Lá vamos nós ao assunto polémico :o)
Aviso já que - depois da experiência traumática e dolorosa que tive com o João - não sou nenhuma freak da maminha. Isto é, se der... deu, se não ser... paciência! E foi com este espírito que parti para o segundo round da coisa.

Logo após o nascimento da Rita, colocaram-na na mamoca. A miúda estava bem acordada e deu umas valentes chuchadelas - lá se vão as teorias da conspiração que alertavam para o facto de "as meninas serem mais preguiçosas para mamar do que os meninos"; se assim fosse, tínhamos uma crise de identidade cá em casa. A Rita pegou logo muito bem na mama. O problema surgiu no dia seguinte, quando me apercebi de que ela não é como o irmão - que mamava a dormir. Não... ela, pura e simplesmente não acordava quando eu queria que ela mamasse - de 3 em 3 horas. E, por causa disso, seguiram-se toda a espécie de torturas e manobras de "como despertar um bebé que se está marimbando para comer e quer é dormir em paz e sossego, sff!", levadas a cabo pelas enfermeiras que, desesperadas, tentavam ajudar-me a acordá-la. Não, não é exagero... desde despi-la toda, a molhar-lhe os pés e a cara com água fria, a darem-lhe espécies de beliscões, a porem-me aero om na mama... tudo foi tentado. Mas a Rita queria mesmo era dormir.

Começou aí a saga " mas como raio vou alimentar a cachopa de 3 em 3 horas se ela não acorda?" Resultado: o leite não subia e na segunda noite a Rita abriu a goela com fome e eu não tinha pinga de leite ou de colostro para lhe pôr na boca. Vai de tocar à campaínha e "venha de lá o suplemento para a bebé que ela tem fome". Tive a sorte de não ter apanhado nessa noite uma enfermeira obcecada com a mama e lá veio o biberão para a Ritinha - que o bebeu de um trago e ferrou a dormir outra vez. E acho que foi nesse momento que caí em mim. Respirei fundo e pensei com os meus botões: que se lixem as teorias e os palpites... A miúda há-de comer quando tiver fome. Estava a ser tortura para mim e para ela, cheguei a passar 1h30 para a acordar e chorava porque ela não acordava... ora, mais valia que ela tivesse dormido descansada mais essa hora e meia - e eu também - e que depois tivesse acordado naturalmente para mamar - digo eu!

Felizmente o leite lá subiu e nunca mais voltámos a recorrer ao suplemento - mas a lata está comprada e guardada no armário, just in case. Viemos para casa e ela continuou a mostrar preferência por dormir e não havia nada que a acordasse... E quando abria a pestana dava-me duas ou 3 trincadelas no mamilo e ferrava a dormir...

Na primeira consulta com a pediatra lá ouvi o blablabla de no primeiro mês tem que mamar de 3 em 3 horas. E ontem ouvi mais do mesmo e além disso "tem que fazer intervalos minímos de 2 horas". Pois, está bem. E também já tive que gramar com os típicos comentários - conto sempre até 10 para não responder torto - do "vê lá se o teu leite é bom para a menina". Oh minha gente! Todas pessoas bem informadas sabem que o leite materno é o melhor que há para os nossos bebés. Ponto. Eu escolhi amamentar, mas só o farei se não se transformar na tortura que foi a amamentação do João. Ponto. E sim, também acho que é melhor o suplemento do que ter os bebés a passar fomeca. Ponto. E também sei as teorias todas da vinculação mãe/filho e não me parece sejamos melhores ou piores mães por dar mama ou biberão. Ponto. Não sou fundamentalista, mas sou comodista e, convenhamos que, dar mama é muito mais prático - há dúvidas?! (É um assunto que mexe mesmo comigo...)

Os dias foram passando e a Rita começou a ter mais períodos acordada e a mamar regularmente - chama-se a isto dar tempo ao tempo! Mama muito e muito bem durante o dia. Mama quando lhe apetece e tenho as mamas sempre abastecidas de leitinho, até já deu para congelar algum - do que não me caiu nos pés e na roupa ;o) Nas primeiras noites em casa ainda insisti e tentei, em vão, acordá-la para mamar - aqui já tinha chegado a "psicose do peso". Depois de conversar com uma amiga sobre o assunto (obrigada Meggy ;o)) fiquei a saber que a miúda dela nasceu com o peso inferior ao da Rita e o pediatra nunca a mandou acordar a bebé de 3 em 3 horas para coisa nenhuma. Mais uma vez, cada cabeça sua sentença. Fiquei a matutar e deixei falar o meu instinto... acorda quando tiver fome. Sei que as coisas se foram organizando de uma forma em que a Rita mama quase sempre entre a meia-noite e a 1h da manhã e é muito raro acordar antes 4h30/5h da madrugada. E depois acorda entre as 8 e as 8h30 e vai atestando a barriguinha até à noite. E mama muito bem, e não tem tido cólicas e já não a torturamos para acordar... E tem aumentado de peso...

Faço, portanto, um balanço positivo da amamentação da Rita. Os mamilos já gretaram e já me doeram muito - agora doem "assim-assim" quando ela pega a depois deixam de doer. O que foi massacrado na maternidade na altura do João continua, naturalmente, dorido - porque nunca deixou de me doer. Mas não são dores insuportáveis... são os ossos do ofício :o)
...
Ah, e só para esclarecer, salvo uma única excepção - tem que haver sempre uma ovelha ranhosa -, só tenho a dizer bem e a agradecer a todas as enfermeiras da maternidade das Caldas. Foram incansáveis, sensíveis e muito profissionais perante as dificuldades que enfrentámos nos primeiros dias.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Consulta

Hoje foi dia da primeira consulta da Rita no Centro de Saúde. Começámos pelas medidas e pelo peso com a enfermeira: aos 12 dias a princesa está com 2,830 kg, 49 cm e 33,8 de PC. Depois fomos para a consulta com a médica de família e está tudo bem. Deu-me alguns conselhos e dicas sobre a amamentação - dá sempre jeito ter uma médica/mãe que sabe por experiência o que está a dizer - que é para continuar. Apesar de ter sido pesada em balanças diferentes, tudo indica que o leitinho da mamã é adequado e suficiente para a Rita.

Já trouxemos a credencial para a Ritó fazer a ecografia renal para verificar a existência (ou não) da duplicação da artéria do rim direito.

Na próxima quinta-feira voltamos para o peso e já ficou marcada a consulta do 1º mês da cachopa.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

O João e a Rita

O João conheceu a Rita na maternidade. Ela estava a dormir e ele dizia repetidamente: "a mana óó?". Sentou-se na cama e pediu para lha pormos ao colo, fez-lhe festinhas, deu-lhe beijinhos e depois pediu para a tirarmos. Já em casa, continua a ser muito meigo com ela, salvo raras excepções em que não tem a mínima noção da força que tem... Está sempre de volta dela a pôr "úsica mana" (música para a mana) e puxa a corda do móbil que está na alcofa. Quando ela chora pergunta logo pela chucha da mana e se a encontrar tenta pôr-lhe na boca. Gosta de lhe fazer festinhas na cabeça.

Gosta de ajudar a dar banho à mana e de ver mudar a fralda. Anda sempre com um banquinho atrás para conseguir pôr-se ao nível das coisas e poder "ajudar-nos" nessas tarefas.
...
Como já tinha referido, foi connosco que o comportamento dele mudou. Ainda ontem estava a passar os olhos pelo Livro da Criança, do Mário Cordeiro, em que ele descreve esta fase que o João está a passar e ele encaixa na perfeição... Vai do 8 ao 80 em fracções de segundo. Passa da meiguice à agressão, da obediência ao confronto e à birra. Salta, grita, esperneia. Não tem sido nada fácil lidar com ele, mas tentamos fazer o nosso melhor. Deixámos de tentar controlar os ataques de fúria, deixamo-lo extravasar toda aquela energia e depois tentamos conversar com ele. Apesar de tudo, temos recorrido a alguns castigos - não ver o Noddy, ir para o quarto, ir dormir sem ver o Panda... Deixou de querer sair com o pai. Sempre que lhe perguntamos ele responde que "Nhão. 'oão fica casa com mamã e mana" (Não. O João fica em casa com a mamã e a mana).

Notamos que quando temos visitas ele se põe de parte e fica triste por não receber a atenção a que estava habituado. Nestas alturas, tentamos chamá-lo para perto de nós e se ele não quiser vir, então vai um de nós brincar com ele.

Gosta de se sentar ao pé de mim quando estou a amamentar a Rita e já sabe que a mana "bebe teitinha maminhas da mamã" (bebe o leitinho das maminhas da mamã). Já tentou abocanhar-me as mamas 3 ou 4 vezes vezes e eu expico-lhe que agora já não pode ser, mas quando ele era assim pequenino como a mana também bebeu o leitinho da mãe. Ele diz que sim e acaba por se enconstar a mim a receber festinhas na cabeça.

O pai tem passado muito mais tempo com ele, mas noto que o João sente a minha falta. Ontem de manhã, depois de dar mama à Rita, perguntei-lhe se queria ir comigo ao parque e à loja e ele, depois de confirmar se "papá e mana fica a casa" disse que sim e lá fomos só os dois. Sei que ele adorou este bocadinho e vamos repetir sempre que for possível.

Não tem sido fácil, mas vamos levando um dia de cada vez.

Ao 11º dia...

... o cordão da Rita caiu.

terça-feira, 27 de julho de 2010

O desfralde

(Foto retirada)
O desfralde do João foi mais rápido e bem-sucedido do que eu esperava. Depois de muitas leituras, e apesar de termos esperado por todos os sinais e ter sido ele a tomar a iniciativa, estava com receio de fazê-lo tão perto do nascimento da Rita.

A primeira semana foi a que teve mais descuidos e alguns cocós no quintal. Ao início ainda usou a fralda durante a sesta, mas depois deixou de a querer - e não precisa - e só aceita que lhe coloquemos a fralda durante a noite - e ainda acorda algumas vezes molhado.

Para nós foi crucial, no dia em que ficou decidido que se iria iniciar o desfalde, o João começar logo a usar cuecas e nunca mais lhe ter sido colocada a fralda - o que deve ter ajudado a evitar confusões na cabeça dele. Mesmo com o nascimento da mana, em que esperavamos alguns descuidos, estes não aconteceram e ele continua a encarar todo este processo com a maior naturalidade.

A maior dificuldade que tivemos foi conseguir que ele fizesse as necessidades fora de casa, em casas de banho públicas - em que não há penicos e redutores... Depois de muita insistência, lá começou a fazer os seus xixis e cocós fora de casa sem estes auxiliares mas com algumas acrobacias para não ter que sentar o rabiosque em sanita alheia :o)

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Avós


Que todos os filhos pudessem ter a sorte que eu e os meus irmãos tivemos e que pudessem crescer com os avós e bisavós por perto... Um beijinho especial do João e da Rita para os avós e bisavós que os estragam com mimos!

sábado, 24 de julho de 2010

1 semana

(Fotos retiradas)
Não podia deixar passar a data em branco, mas o cansaço não deixa margem de manobra para muito mais. A Rita é linda e tem sido amiguinha da mãe e do pai. Mama bem, dorme bem e caga bem :o) Tivemos uma ou duas noites mais difíceis mas, no geral, conseguimos conciliar os horários das mamadas de forma a que apenas tenhamos que acordar uma vez durante a noite e até agora tem resultado. Há alturas do dia em que tenho mesmo que a acordar para mamar porque ela ferra no sono de uma maneira que se eu deixasse dormia 6 ou 7 horas seguidas - bem me apetecia, mas a pediatra recomenda que no primeiro mês de vida a acorde e lhe dê de mamar de 3 em 3 horas. O João adora a mana e é super carinhoso e atencioso com ela - às vezes exagera um bocadinho... Comigo e com o pai é que a "porca torce o rabo" e temos tido alguns momentos de tensão, com muitas birras e ataques de fúria - fúria mesmo, já nos chegou a bater... Apesar de tudo, temos tentado manter as rotinas dele, sem que o elemento "mana" perturbe o dia-a-dia a que ele estava habituado.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Primeira saída

Hoje aqui a mamã tinha que ir tirar os pontos ao hospital e, para aproveitar a viagem, fomos também ao centro de saúde fazer o teste do pezinho à Rita. Foi também dia da sua primeira consulta na pediatra.

Em vez de irmos pôr o João a casa da avó, optámos por levá-lo connosco na nossa primeira saída a 4 (que teve tanto de bom como de mau, mas esse post fica para outro dia).E, assim, lá fomos nós. A Rita portou-se lindamente no teste. Chegou a dormir, a dormir continuou e a dormir ficou. Parece que foi um inédito, lol! Miúda dorminhoca! Para mim foi um alívio porque pensei que ela ia chorar bastante...

Logo depois de almoço fui tirar os pontos. Andava cheia de dores (mas não tão más como tive do João) e o resultado é mesmo um edema e inflamação da zona. Para já, é para pôr gelo e bepanthene plus e vigiar. Se piorar é para marchar para as urgências para tomar antibiótico - espero que não seja necessário, vamos ver...

Da consulta com a pediatra já viemos com o pedido para a Rita fazer uma ecografia renal para confirmar - ou não... - a aparente duplicação da artéria renal que aparecia na eco que fiz às 35 semanas. De resto, a miúda está óptima e já está a recuperar o peso com que nasceu. Contava hoje com 2,700 kg, 48,5 cm e 32 cm de PC. Vamos continuar com a amamentação (mais um post que ficará para outro dia).

quarta-feira, 21 de julho de 2010

O parto

O dia 17/7 finalmente tinha chegado. Acordámos cedinho, fomos pôr o João a casa dos avós e seguimos para a maternidade. Chegámos às 9h30 e fui chamada às 10h, o colo estava praticamente apagado e tinha 3 dedos de dilatação. Puseram-me o soro e a ocitocina e a indução começou às 11h. O papá pôde vir, então, para ao pé de nós. Tudo tranquilo, sem dores, a ocitocina estava num nível baixinho e não tinha contrações significativas. Às 13h a médica veio fazer a ruptura da bolsa e lá saiu o líquido, que afinal até era mais abundante do que aparecia nas ecos. Ainda me pus na galhofa porque estariam para começar as contrações a sério e o George queria "acção", lol! O tempo foi passando e... nada. Nem dores, nem dilatação. A médica aumentou a ocitocina e continuámos à espera. Entretanto foram entrando algumas grávidas e nesse dia a médica deve ter feito 6 ou 7 cesarianas de urgência - o que creio que a fez deixar atrasar um pouco o meu parto e não aumentar mais a ocitocina até às 19h. Já não sei bem a que horas levei a epidural, mas tinha na altura 4 dedos de dilatação e as dores tinham começado a intensificar-se. O raio da analgesia, desta vez, foi mal dada e apenas me anestesiou o lado direito... Soube mais tarde, quando a enfermeira me tirou o cateter que este estava mal colocado, estando inserido apenas à superficíe. Eram 20h quando a médica me fez novo toque, estava com os tais 5 dedos, e aumentou novamente a ocitocina. Perguntou-me se queria um chupa para enganar o estômago, estivemos mais uns minutos na galhofa e comecei a mentalizar-me para passar mais um bom par de horas até a Rita nascer. Não podia estar mais enganada. Assim que a médica virou costas comecei a sentir as dores cada vez mais fortes, que me apanhavam a anca e a virilha esquerda. As contrações eram cada vez mais seguidas e insuportavelmente dolorosas. Sei que gritei e me contorci com dores, mas nunca pensando que já estava no período expulsivo. Eu só dizia ao George que não ia aguentar aquelas dores até fazer o resto da dilatação que, supostamente, ainda ia a meio. Chegou a um ponto em que ele tocou a campaínha para dizer à enfermeira para verem o que se passava e se haveria forma de aliviar as dores. Ela fez-me outro toque enquanto eu berrava que a médica tinha acabado de fazer um há 5 minutos e eu queria era que as dores desaparecessem, quando me diz: "mas é claro que está com dores, a cabeça da bebé está aqui!" PASSEI-ME literalmente, lol! Devo ter dito que era doida, se ainda há 5 minutos estava com 5 dedos, como é que a cabeça da miúda ali estava, pronta a sair? Enquanto estrebuchava e dizia mal deste mundo e do outro, chamaram a médica às pressas e lá fomos para a sala de expulsão. Não fossem as dores e mais parecia uma comédia. A dra. dizia, "oh Mara, quando me chamaram nunca pensei que era para si! Comece a fazer força enquanto preparo as coisas". As coisas eram vestir a bata e as enfermeiras prepararem o kit da criopreservação. Ela mandou fazer força e eu fiz, mas só uma vez, para logo a ouvir gritar muito aflita "não! páre que a cabeça está aí!" Depois de tudo preparado, ainda teve que virar a carinha laroca da Rita para baixo e, então, numa única contração e em 3 puxadelas a miúda saiu disparada de uma só vez. Diz o papá que parecia um foguete. Meteram-na em cima de mim e começou logo a berrar em plenos pulmões. E assim foi, às 20h29 de dia 17/07/2010 nascia a nossa princesa, com 2,840 kg, 48,5 cm e um Apgar de 9 ao primeiro minuto.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

A princesa

(Foto retirada)
Estamos as duas bem, ainda na maternidade, mas desejosas de ir para casa! :o)
Obrigada a todas pelas felicitações, estamos muito felizes!

domingo, 18 de julho de 2010

A Rita

A nossa menina nasceu ontem, às 20h29, de parto normal com epidural, com 2,840 kg. É linda e perfeitinha! Foi teimosa e a indução demorou a pegar. Estivemos 9 horas para passar dos 3 para os 5 dedos de dilatação e depois, como por milagre, em menos de dez minutos (leram bem) passámos dos 5 dedos para o "mas ela está já aqui a nascer" e ala que se faz tarde para a sala de partos. :o)

Mais logo coloco fotos e os detalhes ficam para depois.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Tranquila

É como me sinto. Claro que estou desejosa por ver a Rita cá fora, mas não me sinto impaciente nem nervosa... Hoje ainda me saíram mais uns bons bocados de rolhão e as contrações continuam. Estou com esperança de que esteja tudo bem encaminhado. A Ritinha continua num grande rebuliço in utero e tenho levado porrada de meia-noite :o)
...
Confesso que já deitei uma lagrimita pelo João e já sinto o coração pequenino por causa dos dias que vou passar fora de casa. Voltámos a explicar-lhe que vou passar uns dias fora e que vou "buscar" a mana, mas que o papá fica a tomar conta dele, juntamente com a avó. Só amanhã é que vai passar todo o dia com os avós porque o George vai comigo para a maternidade, mas à noite vai buscá-lo para dormir em casa, na caminha dele. Ele vai dizendo sempre que sim a tudo, mas hoje mostrou-se mais interessado em ver o Noddy do que em ouvir as nossas lenga-lengas, lol!

Plenitude...

(Foto retirada)
... é ter sorrisos assim na minha vida!
E vivam as coisas simples como um almoço de aniversário caseiro e um bolinho feito pela "mamã patas de elefante". E não imaginam a quantidade de vezes que acendemos as velas para o João as poder soprar com o pai. Estes momentos fazem-me... sei lá... quase levitar de alegria!

Parabéns!!!

(Foto retirada)
Parabéns amor!!!
A malta sabe que tu não és muito de celebrar estas datas, mas nós gostamos de festa e dos "pa'abéns"! E hoje são os teus! Amamos-te muito, muito, muito!

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Mais diferenças

Quando foi do João, às 37 semanas a médica fez-me o primeiro toque que me doeu que se fartou e me chegou às entranhas (ou à garganta). Na altura avisou-me logo que era normal ter perdas de sangue ou do rolhão mucoso, o que aconteceu no dia seguinte. Saiu todo de uma vez e tinha vestígios de sangue. Duas semanas depois o parto foi induzido.

O de hoje tem estado a sair aos poucos e é limpinho como clara de ovo. A meio da manhã saiu um grande bocado e cada vez que vou à casa-de-banho aparece mais no papel higiénico. As contrações continuam iguais: dolorosas mas irregulares. Apesar da ansiedade e da vontade de ver a carinha laroca da miúda, continuo a achar um piadão e um privilégio poder sentir todas estas coisas que não senti antes. O nosso corpo é mesmo um mundo fantástico que sabe muito bem o que faz. Até a prisão de ventre, que me atormentou a gravidez toda, esta semana me deu tréguas e os intestinos têm estado a trabalhar bem, como que a preparar o terreno para a chegada da Rita. Todos estes pequenos pormenores físicos me fascinam...

Cá por casa temos tudo organizado: sogra em alerta laranja (lol); sopa e alguma comida feita e congelada; casa limpa; quintais lavados; cães com banho tomado, desparasitados e desinfestados; carro com pneus novos e lavadinho que até parece novo; lista de recados para o papá não se esquecer de nada durante a minha ausência; telemóvel carregado; vita net carregada; pilhas carregadas; máquina fotográfica a postos; malas prontas.
...
Não sei se será hoje, amanhã ou no outro dia, mas estou com ideias de ainda dar um saltinho à praia hoje :o)

Out!

Rolhão mucoso: saiu esta manhã.
:o)

Adoro (NOT)...

... receber visitas quase diárias neste blog, que acedem ao mesmo através de blogs privados - que não conheço e aos quais não tenho acesso - e não me dão sequer a oportunidade de devolver a visita nem tampouco se "acusam"...

Acordei com os pés de fora!
...
Adenda: Não me interpretem mal! As pessoas não são obrigadas a ter blog para me virem ler. Aliás, há muita gente que passa por cá e não os tem (ou mesmo que tenha e não seja público), mas deixam umas palavras de vez em quando. Este post é mesmo dirigido para 3 ou 4 blogs - dos quais até tenho o endereço - que eu sei que acedem ao meu e nunca comentaram, nem que fosse para dizer "olá, gosto de cá passar de vez em quando, mas tenho o blog privado". Nem estou a pedir acesso aos blogs... Só que me faz confusão sentirem-se no direito de vir cá frequentemente - não é uma vez por outra, são várias vezes por semana -, terem o link do meu blog no respectivo blog privado e não deixarem uma palavra. Mas também há os que são privados, aos quais me foi vedado o acesso sem uma palavra, e que continuam a vir cá meter o nariz, esses então... ui, ui! As minhas hormonas andam a fazer-me falar demais...

terça-feira, 13 de julho de 2010

As diferenças

Hoje comentava com a médica como tenho sentido as gravidezes de maneira diferente e não falava só da parte emocional da coisa. Apesar dos contratempos e ansiedade das últimas semanas por causa do líquido amniótico, a verdade é que a gravidez da Rita foi muito mais tranquila que a do João. E passou a voar... A do João foi uma ansiedade constante, talvez por ser a primeira... Desta vez já nem o parto me assusta, mesmo que tenha que ser cesariana (noc, noc, noc, bate na madeira - espero que não!).

Fisicamente tenho achado ainda mais piada (tenho que me divertir com alguma coisa). O parto do João foi induzido às 39 semanas+1 dia e quando dei entrada na maternidade tinha 2 dedos de dilatação, depois de ter passado por dois mega-toques que me iam saíndo pela garganta fora nas duas semanas anteriores. Mas nunca senti ESTAS contrações, como sinto da Rita. E nunca senti os ossos da bacia e da patareca, literalmente, a abrir. Até já comentei com o mariduxo que mais parece que me estou a "escarancanchar" e me vou "desconchavar" a qualquer momento, lol! Do João nunca cheguei a sentir o meu corpo a preparar-se para o grande dia. Da Rita tenho sentido e tenho sentido muito! E, apesar de às vezes ser bastante desconfortável e até doloroso, dá-me um gozo do caraças!

E estou com uma fezada de que o parto da Rita vai ser rápido e vai correr bem. Não tenho nenhum trauma com as induções, felizmente! O parto do João foi o primeiro, foi induzido, levei epidural e durou 7 horas, o que é muito bom para a primeira vez. E, como se diz por aí, o segundo costuma ser mais rápido e mais fácil. Espero que sim!

Ainda por cá

Já fomos e já voltámos.
A prometida "maldade para ajudar" - vulgo toque - ficou por fazer, porque aqui o corpinho da mamã está a fazer o seu trabalho: contrações, colo apagado e 1,5 de dilatação. Mais uma vez a médica preferiu não fazer nada para aguentarmos até Sábado. A Rita estava a treinar a respiração, mas ainda muito calmamente. A fluxometria do cordão deu valores normais e o líquido é a história do costume, pelas palavras da médica "é pouco, mas dá bem até Sábado". O estreptococos deu negativo. Se a miúda assim quiser, chegaremos às 38 semanas e 6 dias e o parto será induzido. Ficámos, então, de ir ter com a médica à maternidade dia 17 às 9h30 e de malas aviadas!

domingo, 11 de julho de 2010

38 semanas

(Foto retirada)
E hoje estou que só me apetece comer porcarias...
Deve ser da falta de sono. Ou melhor, do excesso, porque carradas de sono tenho eu!
...
E diz que faltam 6 dias. E que 6 dias passam a correr.
Terça-feira vamos novamente à "revisão" à maternidade.
...
E tinha-me esquecido de dizer que dia 16 temos o aniversário do papá! Que rica prenda lhe vou dar, lol!

sábado, 10 de julho de 2010

Se bem que...

... nestas coisas não adianta muito fazer grandes previsões, a verdade é que, se tudo correr como planeado, daqui a uma semana já teremos a Rita nos braços.

(Mas amanhã temos mudança de lua... :o))

Tenho tido algumas contrações dolorosas, mas nada regulares.
As noites têm sido para esquecer.
Tenho os tornozelos e a cara inchada.
Hoje sinto-me particularmente cansada.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Caiu-me a ficha

Hoje, estava eu refestelada na espreguiçadeira no quintal a ver o João chapinhar na sua mini-piscina e a brincar quando, de repente, caiu-me a ficha. São os últimos dias em que ele vai ser filho único. Os últimos dias em que nos vai ter só para ele. É assustador, mas ao mesmo tempo fui invadida por uma sensação boa. O coração de uma mãe e de um pai nunca se vai dividir... vai expandir-se! O amor pelos filhos multiplica-se mesmo... Cada vez amo mais este miúdo!
(Fotos retiradas)
...
Adenda:
ao simpático comentário anónimo :))))
"só quem não tem irmãos acredita nisso :))))"
Pois... por acaso eu até tenho e logo dois!... 1 irmã mais velha e 1 irmão mais novo. E acredito nisso. Ou melhor, sei disso! Viva, então, a minha ingenuidade de filha, irmã e mãe "perfeita"...

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ida à maternidade

Tal como tinha ficado combinado com a minha ginecologista, antes dela ter ido de férias, hoje fui ter com ela às urgências da maternidade. Depois de uma loooooonga espera de mais de 5 horas, lá fui chamada. Mostrei-lhe a eco que fiz às 35 semanas e disse-lhe o que a outra médica me tinha dito. Ela fez-me uma ecografia e confirmou, mais uma vez, que o líquido, apesar de não ser abundante, ainda é suficiente e não é uma situação patológica. A Rita tem boa vitalidade - se não tivesse líquido suficiente não se mexeria tanto -, o coração bate forte, o cordão está bom e vê-se que está envolvido por algum líquido amniótico, que é o desejável. Ainda vimos a miúda a treinar a respiração, viam-se as costelas a subir e descer. Na opinião dela, é preferível esperar e dar tempo aos pulmões da Rita para maturarem devidamente e para engordar mais um bocadinho. Volto lá na próxima terça-feira e, se a situação se mantiver estável, o parto será então induzido no dia 17/7 (38 semanas e 6 dias pela ecografia; 38 semanas e 2 dias pela data da última menstruação).

Fez-me também um toque muito meiguinho, ao contrário do que me tinha feito nesta altura, na gravidez do João. Disse que o colo do útero está curto e permeável a 1 dedo e que ia esperar pela próxima terça-feira para dar uma "ajudinha". "Cheira-me" que a miúda tem mais pressa que o mano e, a julgar pelas contrações que tenho tido, já não sei o que pensar... A ver vamos se fica cá mais 11 dias :o)

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Mais uma!


Difícil... mesmo muito difícil... é escolher entre tantas e tão giras! Esta miúda vai levar-me à falência :o)
A gaveta das fraldas, com algumas que já foram herdadas do mano.

domingo, 4 de julho de 2010

37 semanas

(foto retirada)
Cá estamos nós, acabadinhas de entrar na recta final.
Começo a ficar ansiosa para ver a Rita, para a ter cá fora. Apesar das últimas semanas não terem sido (nada) fáceis, tenho conseguido viver estes últimos dias com a múda embutida com serenidade. Temos tudo pronto para a receber e ontem acabei definitivamente de fazer as malas para a maternidade. Também já expliquei ao João - dentro dos possíveis, claro - que daqui a algum tempo vou passar uns dias fora e que quando voltar trago a mana. Perguntei-lhe se quer que o pai o leve a ver-me no sítio onde vou estar e ele disse que sim :o)
...
Agora estou a contar as horas que faltam até terça-feira, dia em que irei à maternidade ter com a minha médica e lhe levarei o relatório da última ecografia. Vou-me já mentalizando para o belo do toque, daqueles que nos faz subir pela maquesa acima (e mais marquesa houvesse). E está tão quase!

Insónias

À grande e à francesa... Não consigo dormir. Tenho cólicas e contrações relativamente dolorosas, nada de especial e nada regulares, mas o suficiente para não me deixar ao menos repousar o corpinho na cama... A miúda deve sentir a minha agitação e falta de descanso e também não dorme, tem estado no remelexe a noite toda.

O João dorme. O pai ressona. A mãe e a filhota assentaram arraiais no sofá...

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Acabadinha de chegar...

... do Mundo da Sofia, a minha mala reversível e feita à medida ;o)

E ainda... um miminho dos grandes, daqueles que não estava nada à espera... um vestido lindo com as botinhas a condizer para a Rita! Adorámos! Obrigada! Não vejo a hora de o experimentar na miúda ao vivo e a cores! :o)

Da mamã

Tenho estado tranquila. Muito mais do que imaginei ser possível... Tenho feito o que a médica recomendou - muito repouso e muita água. Todos os dias dou uma voltinha e não sinto que seja isso que vá piorar as coisas, muito pelo contrário.

Apesar de estar sempre a reclamar que por cá não se tem visto muito o sol e até temos tido dias frios e desagradáveis, a verdade é que assim que o tempo aquece um bocadinho eu começo logo a inchar. Assim sendo, bendito seja o microclima aqui da zona! Mesmo assim, ontem de manhã o sol deu um ar da sua graça e às 8h45 estávamos a assentar arraiais na praia, para o João brincar. Eu fiquei na toalha com os presuntos bem estendidos na areia. Foi por pouco tempo, mas soube que nem ginjas!

Hoje logo às 9h, pela fresquinha, estava no cabeleireiro para dar um jeito à juba e aproveitei para arranjar as mãos e os pés e para dar sumiço aos pêlos... Ao menos que tenha um ar apresentável para a miúda não se assustar quando me vir :o) Já que não posso fazer nada do que me apetece em casa - nesting instinct ao rubro! - pelo menos fiz qualquer coisa por mim!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Do desfralde

Ontem foi o desastre total:
- 3 ou 4 xixis nas cuecas.
- 2 cocós no quintal (nota mental: importante explicar ao João que quem faz as necessidades no quintal são os cães...).

Hoje foi muito melhor:
- Zero xixis nas cuecas.
- 1 cocó no chão da casa-de-banho.
- 2 cocós na sanita.

Fralda só para dormir a acorda sempre sequinho da sesta.

Estamos no bom caminho! :o)