segunda-feira, 11 de março de 2013

Da gravidez

A menos de 3 meses de ter o Pedro nos braços, posso afirmar que tenho vivido esta gravidez com uma traquilidade que nunca julguei possível. Andei nervosa e ansiosa até fazer a ecografia do primeiro trimestre e assim continuei, mas em modo qb, até começar a senti-lo mexer todos os dias. Acho foi por aí, pelas 19 ou 20 semanas, que comecei a respirar mais fundo.

Não considero a gravidez o estado de graça que muitas mães referem. Detestei a gravidez do João e a da Rita também não me traz recordações muito boas. Não gostei nadinha dos repousos forçados, dos sustos e da barriga crescente no último trimestre. Só me lembrava do mau estar, da azia, do vomitanço, da engorda, da cara desfigurada - da Rita, então, parecia uma lua cheia - das noites mal dormidas, da ansiedade para saber se estavam bem e de querer que o 8º mês voasse que eu não aguentava mais.

Não sei se foi pelas circunstâncias em que o Pedro "chegou", se foi pelos dois bebés que perdi antes dele, ou se é por achar que, possivelmente, esta será a última gravidez que vou viver, já não tenho a visão negra do "estado de graça" que tive das outras vezes. Não me importo com o mau estar - que não é assim tanto -, não me importo com as noites mal dormidas porque ele se lembrou que às 4h da madrugada é uma boa hora para começar a dançar cá dentro. Ainda esta noite me fez isso e, em vez de me lamuriar, ri-me. Ri-me mesmo, com vontade. Não vivo em ansiedade com os dias que antecedem as consultas, não conto os dias que faltam para a próxima, e penso que última, ecografia "a sério" - que ainda nem marquei, ups!. Já me passou a fase em que andava preocupada com a possibilidade de vir a ter pouco líquido amniótico outra vez e ficar confinada ao repouso.

A única coisa que quero é desfrutar. É mesmo isso: desfrutar deste bebé, desta modesta barriguita e do imenso amor que sinto cá dentro. Todos os dias. Ando sempre com os olhos rasos de lágrimas - sou uma chorona... - por tudo e por nada. Porque me sinto grata por poder, agora, apreciar as coisas boas que desvalorizei nas gravidezes anteriores.

7 comentários:

CrisTina disse...

Dizem que todas as gravidez são diferentes, eu por experiência própria não o sei pois só tive uma, mas penso que também se tornam diferentes pela nossa vida que nos ronda também, quando estava grávida lembro me riscar os dias que faltavam no calendário para a próxima ecografia, tudo era novo e curioso, penso que se algum dia voltar a engravidar isso não vai acontecer com tanta intensidade.... Parabéns mamã pela terceira gravidez :)

Ana disse...

Eu entendo bem isso. Odiei de morte a minha primeira gravidez, só houve umas semanas em que não me queixei de nada e estava sempre ansiosa que o meu filho nascesse para me acabar com o "tormento". Depois a 2ª gravidez... Acabou em parto prematuro, a bebé morreu. Um caos, o chão a fugir debaixo dos pés. A 3ª gravidez um sobressalto constante. O medo que me fazia acordar todos os dias de ter nova ruptura de membranas que me levasse mais uma filha. Sofri muito, chorei, tive medo o tempo todo. Finalmente nasceu a minha filha, com o tempo normal e saudável. Penso muitas vezes que precisava de uma nova gravidez, para me apaziguar com as gravidezes, com o estar gravida, para desfrutar como nunca fiz nas gravidezes anteriores. Daqui a uns tempos (a minha filha tem 20 meses) espero ganhar coragem para tomar essa decisão. E espero poder dizer exactamente o mesmo que diz a Mara :)
Muitas felicidades!

Aline Rodrigues disse...

Tens razões para ficares emocionada. Desfruta essa gravidez. Também penso que não desfrutei a minha, apesar de ter corrido bem.Mas não me senti num estado de graça também.
beijinhos grandes e obrigada pelas palavras.

Maria João disse...

Eu senti-me num estado de graça de ambas as gravidezes. Com o mal estar normal, alguns sustos à mistura, mas adorei estar grávida. Desfruta muito. Aproveita a barrigona que já não falta muito. Que tudo continue a correr bem é o que desejo.

MVE disse...

Ola Mara... da Matildinha apesar dos medos até a ver por causa da primeira grtavidez que correu mal... andei também muito ansiosa... e ppenso que a primeira gravidez andamos sempre assim... já esta agora das gémeas... está a ser um suplicio, sustos iniciais... muito stress emocional.. e muito cansaço fisico...
Mas para mim já chega ... faltam 19 semanas para as 40 e eu estou enooooooooorme... na barriga...
1 metro de diametro...
Também ando uma chorona...
BJinhos

mãe pimpolha disse...

amanhã não me voltam a apanhar grávida, 3 chegam e de que maneira, mas não deixo de me sentir triste por saber que não vou voltar a ter nos braços um recem nascido, voltar a parir.
aproveita todos os segundos.
beijocas

Andreia disse...

Que bom poderes viver esta gravidez em plenitude!
Confesso que, apesar de não ter tido grandes enjoos e mau estar inicial, esta gravidez está a custar-me mais pelo desconforto e limitações do 3º trimestre e agora pelas contracções. Sinto aqueles momentos do estado de graça, mas talvez por não ser tudo novidade, quero que o tempo passe depressa! Por outro lado, por ser provavelmente a última gravidez, quero que passe devagar!