quarta-feira, 15 de abril de 2015

7!

Há sete anos a minha vida mudou. Há sete anos a minha vida ficou virada de pernas para o ar. Há sete anos tive a oportunidade de me tornar uma pessoa melhor e agarrei essa oportunidade com unhas e dentes. Obrigada, filho. Há sete anos nasceu o João. Parabéns filhote!

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Estamos vivos!

Confesso que além da falta de tempo, também me tem faltado vontade para passar por aqui...

Estamos todos bem e isso é o mais importante!

Eu já fui à primeira revisão no IPO e as análises mostram que o tumor está em remissão. Em setembro volto para mais análises, ecografia e consulta.

Ainda apanhei entretanto um susto com uns nódulos nas mamas mas, com a ajuda da minha querida ginecologista conseguimos agilizar o processo da biópsia e afinal, eram "natas de soja", quistos com restos de leite e que na mamografia e eco mamária pareciam nódulos suspeitos.

Tivemos uns meses de inverno com os miúdos constantemente doentes - nada de grave, mas que mói - e andei um bocadinho desanimada, deprimida, mesmo. Com tanta pressão e ansiedade, voltei a ter ataques de pânico com direito a idas ao hospital, que já não tinha há anos... Entretanto também já estamos a tratar dessa questão para ver se pomos aqui a cabecinha da menina em ordem.

O João - que já faz 7 anos daqui a uma semana - está numa espécie de crise na escola, não gosta das aulas, acha tudo uma "seca", não vê utilidade nenhuma em aprender a ler e tem tido dificuldades na leitura - tem sido preguiçoso, mesmo. Também não gosta muito de matemática, mas tem facilidade e tem tido boas avaliações. Só gosta de Estudo do Meio, de brincar com os amigos e de jogar à bola no recreio. Não tem sido fácil lidar com este desinteresse dele pela aprendizagem e sinceramente já nem sei bem o que fazer. Hoje tenho reunião com a professora dele para saber a avaliação do segundo período, mas ele já me disse que a língua portuguesa teve "satisfaz quase não satisfaz".

A Rita está uma menina crescida, já não tem nada de bebé. Aliás, a única coisa de bebé só mesmo o facto de ainda não lhe ter conseguido fazer o desfralde nocturno, mas também não tenho pensado muito nisso. Vamos ver se no verão conseguimos, sem dramas. Está uma espertalhona, vivaça e sempre com a resposta na ponta de língua. É doce e charmosa. É chorona e birrenta e (muito) mentirosa - ou dada ao improviso. Está maravilhosamente no Jardim-de-infância.

O Pedro - quase a fazer dois anos! - teve um inverno mais complicado, as doenças deste ano foram as amigdalites, otites e estomatites aftosas. Está muito mexido e desenvolvido a nível motor, percebe tudo o que lhe dizemos -  até bem demais - mas falar que é bom, nada! Diz muito poucas palavras, só aponta para o que quer; diz "Benfica", "bola", "golo", "pai", "mamã" e pouco mais, pelo menos que eu consiga perceber. Não sei se derivado das minhas ausências forçadas por causa da cirurgia e do tratamento, está muito ligado ao pai. Está na fase das birras - e que birras!!! Põe-me doida, literalmente. Já se nota que é um menino autoritário e tem que ser tudo à maneira dele. As noites têm tido fases, mas continuam a não ser muito estáveis.
E tem sido isto... :) A ver se volto aqui em força, mas está difícil...