sexta-feira, 30 de julho de 2010

A amamentação

Lá vamos nós ao assunto polémico :o)
Aviso já que - depois da experiência traumática e dolorosa que tive com o João - não sou nenhuma freak da maminha. Isto é, se der... deu, se não ser... paciência! E foi com este espírito que parti para o segundo round da coisa.

Logo após o nascimento da Rita, colocaram-na na mamoca. A miúda estava bem acordada e deu umas valentes chuchadelas - lá se vão as teorias da conspiração que alertavam para o facto de "as meninas serem mais preguiçosas para mamar do que os meninos"; se assim fosse, tínhamos uma crise de identidade cá em casa. A Rita pegou logo muito bem na mama. O problema surgiu no dia seguinte, quando me apercebi de que ela não é como o irmão - que mamava a dormir. Não... ela, pura e simplesmente não acordava quando eu queria que ela mamasse - de 3 em 3 horas. E, por causa disso, seguiram-se toda a espécie de torturas e manobras de "como despertar um bebé que se está marimbando para comer e quer é dormir em paz e sossego, sff!", levadas a cabo pelas enfermeiras que, desesperadas, tentavam ajudar-me a acordá-la. Não, não é exagero... desde despi-la toda, a molhar-lhe os pés e a cara com água fria, a darem-lhe espécies de beliscões, a porem-me aero om na mama... tudo foi tentado. Mas a Rita queria mesmo era dormir.

Começou aí a saga " mas como raio vou alimentar a cachopa de 3 em 3 horas se ela não acorda?" Resultado: o leite não subia e na segunda noite a Rita abriu a goela com fome e eu não tinha pinga de leite ou de colostro para lhe pôr na boca. Vai de tocar à campaínha e "venha de lá o suplemento para a bebé que ela tem fome". Tive a sorte de não ter apanhado nessa noite uma enfermeira obcecada com a mama e lá veio o biberão para a Ritinha - que o bebeu de um trago e ferrou a dormir outra vez. E acho que foi nesse momento que caí em mim. Respirei fundo e pensei com os meus botões: que se lixem as teorias e os palpites... A miúda há-de comer quando tiver fome. Estava a ser tortura para mim e para ela, cheguei a passar 1h30 para a acordar e chorava porque ela não acordava... ora, mais valia que ela tivesse dormido descansada mais essa hora e meia - e eu também - e que depois tivesse acordado naturalmente para mamar - digo eu!

Felizmente o leite lá subiu e nunca mais voltámos a recorrer ao suplemento - mas a lata está comprada e guardada no armário, just in case. Viemos para casa e ela continuou a mostrar preferência por dormir e não havia nada que a acordasse... E quando abria a pestana dava-me duas ou 3 trincadelas no mamilo e ferrava a dormir...

Na primeira consulta com a pediatra lá ouvi o blablabla de no primeiro mês tem que mamar de 3 em 3 horas. E ontem ouvi mais do mesmo e além disso "tem que fazer intervalos minímos de 2 horas". Pois, está bem. E também já tive que gramar com os típicos comentários - conto sempre até 10 para não responder torto - do "vê lá se o teu leite é bom para a menina". Oh minha gente! Todas pessoas bem informadas sabem que o leite materno é o melhor que há para os nossos bebés. Ponto. Eu escolhi amamentar, mas só o farei se não se transformar na tortura que foi a amamentação do João. Ponto. E sim, também acho que é melhor o suplemento do que ter os bebés a passar fomeca. Ponto. E também sei as teorias todas da vinculação mãe/filho e não me parece sejamos melhores ou piores mães por dar mama ou biberão. Ponto. Não sou fundamentalista, mas sou comodista e, convenhamos que, dar mama é muito mais prático - há dúvidas?! (É um assunto que mexe mesmo comigo...)

Os dias foram passando e a Rita começou a ter mais períodos acordada e a mamar regularmente - chama-se a isto dar tempo ao tempo! Mama muito e muito bem durante o dia. Mama quando lhe apetece e tenho as mamas sempre abastecidas de leitinho, até já deu para congelar algum - do que não me caiu nos pés e na roupa ;o) Nas primeiras noites em casa ainda insisti e tentei, em vão, acordá-la para mamar - aqui já tinha chegado a "psicose do peso". Depois de conversar com uma amiga sobre o assunto (obrigada Meggy ;o)) fiquei a saber que a miúda dela nasceu com o peso inferior ao da Rita e o pediatra nunca a mandou acordar a bebé de 3 em 3 horas para coisa nenhuma. Mais uma vez, cada cabeça sua sentença. Fiquei a matutar e deixei falar o meu instinto... acorda quando tiver fome. Sei que as coisas se foram organizando de uma forma em que a Rita mama quase sempre entre a meia-noite e a 1h da manhã e é muito raro acordar antes 4h30/5h da madrugada. E depois acorda entre as 8 e as 8h30 e vai atestando a barriguinha até à noite. E mama muito bem, e não tem tido cólicas e já não a torturamos para acordar... E tem aumentado de peso...

Faço, portanto, um balanço positivo da amamentação da Rita. Os mamilos já gretaram e já me doeram muito - agora doem "assim-assim" quando ela pega a depois deixam de doer. O que foi massacrado na maternidade na altura do João continua, naturalmente, dorido - porque nunca deixou de me doer. Mas não são dores insuportáveis... são os ossos do ofício :o)
...
Ah, e só para esclarecer, salvo uma única excepção - tem que haver sempre uma ovelha ranhosa -, só tenho a dizer bem e a agradecer a todas as enfermeiras da maternidade das Caldas. Foram incansáveis, sensíveis e muito profissionais perante as dificuldades que enfrentámos nos primeiros dias.

14 comentários:

Marina disse...

Eu também nunca acordei a minha para mamar, cruzes-credo! Então de noite, nem pensar, que eu também quero/preciso de dormir! A Carminho também mama melhor que o Manuel, curiosamente, as mulheres são mais despachadas que os homens, está visto. Também acho que o leite materno é o melhor para os bebés e, para mim, esse facto pesa tanto na balança como o facto de ser cómodo para nós mães. ;) Bjs

carmo pinto disse...

eu tb nunca acordei para mamar e lá foi ele ganhando o seu peso e vontades para mamar até hoje!
que aasim continue tudo bem mara!
bj nossos para voces 4 ;)

♥ Marta ♥ disse...

As teorias são muito lindas mas cada bebé é único!
A amamentação é tão compensadora mas bem mais dificil que o biberão.
Que continue tudo a correr bem.
Boa sorte!

Maria João disse...

Ora estou plenamente de acordo em tudo o que disseste. Não sou nada fundamentalista nem obcecada com as questões da amamentação e olha que fui enfermeira em obstetricia quase 3 anos:)))Amamentei a Mia pouquissimo tempo, com pena minha e espero num filho próximo conseguir amamentar mais tempo. Se der. Se não der, fome não passa. Acho muito bem que continues com a mama porque claro que é o melhor para a Rita, mas também temos de olhar pela nossa saúde fisica e mental. Mamã feliz, bebé feliz:)

Sara e Martim disse...

O Martim nas ceu com 2.700kg, e o pediatra nunca disse para o acordar de 3 em 3 horas. Acordava quando tinha fome.
Espero que continue a correr tudo bem com a amamentação.

Beijinhos

Teresa disse...

Pois... eu também nunca a acordei para mamar... havia dias que mamava de 2 em 2 horas, 1 em 1, 5 em 5, enfim... era o que ela quisesse... e ouvi de tudo... tens que acordar ou não pode mamar com tão pouco tempo de intervalo, etc...
Olha cada bebé é um bebé... são todos diferentes! Faz o que TU como MÃE achares melhor, sinceramente deixei de ouvir as pessoas e fiz o que achei melhor e acho que é isso que deves fazer.
O que interessa é que a Rita está saudável e a crescer! e aproveita se ela dorme :)
Muitos beijinhos para vocês

Mãe e Pai Borboleta... disse...

Fizeste muito bem...cada cabeça sua sentença e cada bebé com o seu metabolismo! Beijokas lindas! A tua Ritinha esta cada vez mais kiduxa e liiinda!

mãe pimpolha disse...

Acordar a menina para mamar? Mas ainda estamos no século XX?
Deixa a rapariga dormir, que se ela tiver fome adorda.
Boa sorte com a maminha e claro que se for preciso, tens sempre a latinha. Se tiveres dores nos mamilos, pode ser que a Rita esteja a pegar mal.
Beijocas

mãe pimpolha disse...

E já agora, o meu Edu era muito preguiçoso para mamar, no primeiro dia não mamou nada e ainda se fartou de vomitar.
Só acordou para a vida bem mais tarde.
Beijocas

♥ Marta ♥ disse...

Mara,
Manda-me o teu email...
Bjs

Barriguita disse...

o teu blog está a tornar-se uma espécie de "bíblia" para mim!!!

a minha 1ª experiência com a amamentação tb foi traumática e nunca consegui, infelizmente, graças a duas mastites que fiz. desta vez, também vou assim com o espírito de " se der, deu, se não der, azar". revi-me em muito de que dizes, e espero que desta vez, com a minha Clara, a minha experiência seja igual à tua e á da Rita. Ou então, mais uma vez, venho gritar aqui por socorro!

Bjos

Mamã Nocas disse...

És Mãe e experiente e tudo o que escreveste faz parte de uma análise á adaptação da Rita.
Acho que estás a agir e a pensar bem...e que deves seguir os teus instintos maternos e és tu que decide o que fazer.
Concordo, cada criança é um caso, e cada filho é uma experiência.
Cada um tem o seu timing para comer, dormir etc...
Contina a fazer o que achas que está certo, eu tb sou apologista da maminha sem dúvida...
O leitinho materno é do melhor, mas se por acaso as coisas não correrem bem, não há drama...tudo se resolve.

beijocas grandes

Rita disse...

Nunca acordei os meus filhos para mamar. Aliás, queria eu era que eles dormissem sossegados e me deixassem dormir.
No hospital também apanhei umas enfermeiras obcecadas pela mama, mas mentia-lhes... O filho era meu, e não era completamente inexperiente. Claro que não ía deixar o miúdo 24 horas sem mamar, até porque ele faria questão de se manifestar bastante.
Congelei muito leite (cheguei a ter uma gaveta da arca só para esse fim, e cheia até acima).
O Diogo, se o deixasse passava o dia ao peito. Havia uma certa pessoa que me dizia que se o pequeno mamava tanto era porque o meu leite era fraco. Tive muitas vezes vontade de lhe saltar em cima.
Houve dias que stressei e cheguei mesmo a duvidar das minhas capacidades e experiência. Também cheguei a ter uma lata de leite guardada para uma eventualidade, mas felizmente deixei-me levar pelo instinto e acalmei. Deixei a coisa correr.
E assim chegámos aos 6 meses. Podia ter dado para mais, mas não deu. E estamos muito bem assim.
Que se lixem os comentários alheios, porque ...Cada um sabe de si.

Muitos beijinhos

© ●•TéTé £ XαVιєя•● disse...

FREAK…?! LOL ;o)

É assim que eu te imagino, muito prática: se der deu se não der AZAR!

Falsos moralismos à parte, cada um sabe de si e nem sempre o suficiente…

Ponto não… PONTO FINAL! Amamentar é uma opção tua e há que haver equilíbrio entre a tua sanidade mental e o que será melhor para todos… falar é tão fácil :o/

Salvo os prematuros, nunca acordaria um bebé. O que se faz, normalmente, é dar as mamadas em horas certas durante o dia, para que o bebé possa aguentar mais horas sem comer, à noite.

E logo eu, que mal cheguei a casa da maternidade, comecei atrasar, de dia para dia, as mamadas do Xavier durante a noite, cerca de 15 minutos diários.

Ao fim de 1 mês consegui que ele dormisse 7 horas, de noite, sem acordar… MARAVILHA!!!

Acordar, em situações normais, é de loucos…

Ainda bem que a amamentação está a correr bem e sem stress, que é o mais importante.