sábado, 21 de setembro de 2013

Consulta no hospital

Vamos lá a ver se ponho ordem aqui no estaminé, que isto está a ficar tudo desactualizado (e garanto-vos que me tem dado um jeitaço todos os registos que aqui tenho feito...).

Na sexta-feira o Pedro foi à consulta de pediatria no Hospital, por causa da infecção urinária. Em Novembro vai fazer uma Cistografia radiológica - é um exame que permite saber se a urina faz refluxo da bexiga para os rins ou se vem toda para a "saída". Já ficou também pedida uma Cintigrafia Renal que será para fazer em Janeiro, 6 meses após a infecção, para verificar se os rins ficaram com alguma cicatriz. Entretanto, terá nova consulta em Dezembro. Vai continuar a fazer o antibiótico profilático.

Tirando estas partes chatas que já sabíamos que seriam assim, a consulta correu muito bem. Gostámos muito da pediatra que o viu; foi paciente, carinhosa e esclareceu todas as nossas dúvidas sem pressas.

O piolho está a pesar 5,435 kg, mede 61 cm e tem um PC de 40,5 cm. A pediatra recomendou que continue com a amamentação em exclusivo até aos 6 meses, se for possível, e só então começar a introduzir os sólidos. Ficou surpreendida com o desenvolvimento do Pedro: já se senta muito bem no bumbo; tem muita força no pescoço, nas costas e nas pernas. Quando deitado de barriga para baixo já se apoia nos cotovelos e tenta pôr-se em posição de gatinhar. É muito curioso e risonho... um doce, portanto! :)
...
Em relação à amamentação, não tenho dito grande coisa porque não há muito para dizer. Não sou terrorista das mamas e, como tal, foram algumas as vezes em que tentámos que o pai lhe desse um ou outro biberão de LA ou de leite meu no biberão para eu poder dormir. A verdade é que o Pedro não gostou da ideia e, ou não bebia o leite e chorava para vir para a mama, ou bebia o leite todo e... chorava para vir para a mama na mesma. Depois resolveu embirrar em definitivo com tudo o que seja de borracha ou silicone, chuchas incluídas - comprei à vontadinha 10 modelos diferentes -, e começou a fechar a boca ao biberão, independentemente de ter lá leite meu ou de lata. Dei a mão à palmatória e cá estamos, felizes e com muitas olheiras - minhas -, prestes a completar 4 meses de amamentação em exclusivo e em livre demanda (isto são outros 500 e quase aposto que com os outros dois fiquei sem leite porque me diziam para lhes impor horários para mamar, mas adiante...).

4 comentários:

mãe pimpolha disse...

Nem tenhas duvidas, com horarios chapeu. Os meus nem sabem pegar no biberão para beberem água, tive que comprar copo. LOL
Beijocas

Paula disse...

Sem dúvida que amamentar sem grandes regras ou horários ajuda bastante. Com a Luísa foi assim até ir trabalhar e mesmo depois dos cinco meses, sempre que estava com ela amamentava sempre que ela queria. No fim de semana tinha exactamente o que ela precisava. Nas férias de Verão passei a ter para lhe dar ao almoço e ao jantar quando preciso (com 10 meses). Foi assim até eu ter que parar aos 16 meses. O nosso corpo é uma coisa fantástica

Paula disse...

Sem dúvida que amamentar sem grandes regras ou horários ajuda bastante. Com a Luísa foi assim até ir trabalhar e mesmo depois dos cinco meses, sempre que estava com ela amamentava sempre que ela queria. No fim de semana tinha exactamente o que ela precisava. Nas férias de Verão passei a ter para lhe dar ao almoço e ao jantar quando preciso (com 10 meses). Foi assim até eu ter que parar aos 16 meses. O nosso corpo é uma coisa fantástica

Andreia disse...

Que bom! Está óptimo! E que genica!

Parece que não és terrorista, mas o Pedro é!
O Diogo foi sempre quando queria (excepto quando não acordava, que era à força) e mesmo agora com biberão é igual, ainda que algumas pessoas perguntem se já é hora... Como é calminho é fácil identificar quando tem fome.

Às minhas circunstâncias para perder o leite foram outras, mas não tenho dúvidas de que a calma e descontração são essenciais.