quinta-feira, 22 de abril de 2010

O meu "trombadeiro"

(Foto retirada)
... ou apenas os traços que se começam a vincar na personalidade do João - alguns que me tiram do sério, outros que me levam à loucura...
...
O João tem sido um bebé fácil. Tem sido saudável - de longe o mais importante -, dorme muito bem e a noite toda desde os dois meses, come bem e caga bem - desculpem a expressão, mas é mesmo assim. É doce e meigo, embora não seja menino de andar a pedir colo a torto e a direito - tem dias.
...
Brinca bem sozinho, brinca bem com outras crianças da idade dele ou mais velhas. Gosta de partilhar e emprestar as coisas dele, se estiver a comer e lhe pedirmos para dar um pedaço ele dá logo, sem pestanejar. Tenho a impressão de que é um miúdo que não gere conflitos, evita-os - em relação a outras crianças. Se lhe tiram alguma coisa que é dele, não protesta nem entra em disputas. Vai, simplesmente, entreter-se com outra coisa qualquer.
...
É um menino que passa muito bem os dias ou as noites fora de casa - com os avós paternos - e nunca fica a chorar - às vezes chora é para lá ficar, lol!
...
É impaciente... para ele não existe o "a mãe vai já" ou "espera só um bocadinho que a mãe já dá". Quer tudo aqui e agora e JÁ! Penso que, relacionado com esta impaciência, surge a sua intolerância à frustração. Não é persistente, se não consegue as coisas à primeira, irrita-se e tem ataques de fúria e mau génio - chega a atirar com os brinquedos, esperneia e grita.
...
Ser contrariado não é com ele, faz birras de meia-noite, atira-se para o chão e chora como se o estivessemos a esfolar. Esperneia, dá pontapés e já tentou bater-nos algumas vezes. Quando o repreendemos faz cara de "felisberto desgraçado" e chora. Quando percebe que nos magoa acaba por dar festinhas no sítio onde anteriormente nos deu ou tentou dar a pancada. Quando o mandamos de castigo para o quarto, por algum motivo, ele obedece e, por norma, vai logo. Mas vai todo emproado e bate com a porta do quarto com toda a força. Se calhamos a ir espreitá-lo para ver se já está mais calmo e deixamos a porta encostada é certinho direitinho que volta a fechá-la com toda a força. Mau feitio?!
...
Coisas menos boas todos têm... cá em casa não é excepção. Ainda hoje o papá me perguntava como tinha sido a nossa tarde porque sentiu o ambiente tenso e eu lá lhe respondi: "não sei se é ele que está mais desafiador se sou eu que estou com pouca paciência". Talvez um pouco das duas coisas. Cheira-me que entrámos oficialmente na fase dos "Terrible two"...

10 comentários:

Sofia disse...

Ponto 1: parti-me a rir com o teu pré-adolescente a bater com a porta
ponto 2: pensa assim: além do mau feitio, podia NÃO dormir a noite toda :) LOOL
Bjinhos

mãe pimpolha disse...

Bem vinda aos terrible two, eles tb chegaram aqui em força.
Além das birras tb não tem paciência nenhuma e se não consegue fazer algo, enerva-se e manda tudo ao chão.
Dai-nos paciência.
Beijocas

♥ Marta ♥ disse...

Essa fase das birras é terrível! E não penses que termina nos two... apenas começa :)
Beijinhos à mãe babada!

liliana disse...

Eu acho que é preciso doses e doses de paciência.
O Francisco já começou a revelar o seu "mau feitio". Quando as coisas não lhe agradam grita, esperneia e chega a dar-nos umas valentes bofetadas.
Depois, claro, é inevitável que nos comece a faltar a paciência e se tenha de dar um ralhete a valer e de cara feia (mas aqui o meu é uma delícia: olha para mim e lá vem ele a gatinhar dar um xi-coração - e quem resiste?)

Beijinhos

Aline disse...

Deixa lá. São todos assim. A fase das birras não é menos importante do que a fase de gatinhar, andar ou bater palminhas. Faz parte do crescimento e é nesta fase, altura determinante para aprenderem a lidar com o Não e a frustração (e mais vale ser connosco que os amamos acima de tudo).
Beijinhos

Lia Santiago disse...

A forma como o descreveste no inicio do post revela que as birras sao o menos importante do caracter dele :).

Beijinhos

Mamã Nocas disse...

Personalidade vincada...Um menino de ouro!!!

beijocas

Mamã babada! disse...

Olha, linda, antes de mais, desculpa a minha ausência nos coments. Depois acho que realmente o teu menino tinha que te dar alguma chatice, ;-] (brincadeira!) Eu também já sofro na pele essas malfadadas birras e então ao pé da avó, ui, ui, nem quero pensar!
Mas, pronto, eles são o nosso mundo e tudo se passa, é mais uma fase.
Beijocas para todos!

Sónia e MI disse...

ehehhe
onde é que eu já vi "isto"?!
Depois dos terríveis dois, ainda existem os ainda mais terríveis, três!
ahahah

© ●•ƬéƬé £ XαVιєя•● disse...

Minha querida, o Xavier é igual!!!

Sempre me identifiquei muito convosco, não só por gostar de vocês, mas também por achar o João parecido com o Xavier em muitas coisas (felizmente não é nas doenças e afins!)

Inicialmente, quando lhe dava estas crises parvas, eu stressava imenso, o que provocava nele mais irritabilidade, até que acabei por ignorar, dentro do possível e dependendo do sítio onde estamos.

Um exemplo que te dou: uma ida ao hipermercado, em que ele ARMOU um berreiro de morte na caixa do Feira Nova porque não o deixei ir para o chão, e ele chegou a dar-me um estalo!

Eu, impávida e serena q.b., além de ter ralhado com ele não cedi e c@guei d’alto para o povo extasiado a olhar para mim!
Foi a 1ª e a última vez que o fez.

Do cerne da questão, acredito que seja as duas coisas: o teu estado que, inevitavelmente gera impaciência, e o facto deles serem rebeldes, que é típico da idade.

Parece a adolescência infantil ;o)

Uns dias mais do que os outros, lá vão esticando a corda para ver até onde os deixamos ir… cabe a nós dar-lhes corda ou não, o que nem sempre é fácil para uma mãe grávida e que está em casa com o filho, 24 sobre 24 horas!

Que venham dias melhores :o)

Beijos
Tété & Xavier