segunda-feira, 21 de abril de 2008

O parto

Chegámos à maternidade às 8h em ponto, tendo entrado para a sala de observação/avaliação às 9h45. Fizeram-me um toque e estava com dois dedos de dilatação. Clister, vestir a "farda" do hospital e fui para a sala de dilatação. O papá não pôde entrar... Fui a última grávida a ter a sorte de ter um pouco de privacidade. Todas as que foram chegando depois ficaram no corredor... 17 partos num dia é obra naquela maternidade!

Estava tudo a correr bem, contracções regulares, oxitocina a correr... Aos 3 dedos de dilatação a minha ginecologista rebentou-me as membranas e 10 minutos depois começou a aventura pelo universo da dor... Comecei a sentir contracções que me provocavam dores lancinantes... ao ponto de já nem me sentir ali fisicamente... acho que andava a pairar e prestes a perder os sentidos. Perdi totalmente o controlo sobre o meu corpo e as dores foram tomando conta de mim... Num momento de lucidez, não hesitei um segundo em pedir a epidural, que me foi aplicada com sucesso e à primeira aos 4 dedos de dilatação. Continuei a sentir as contracções, mas com menos dor e durante menos tempo.

Pensava eu que estava tudo bem encaminhado quando me vejo subitamente rodeada de enfermeiras, cada uma com um ar mais preocupado que a outra, às voltas com o CTG e a tentar colocar o cinto de forma a captar o coração do João... que não se estava a ouvir... quando finalmente conseguiram notei que as caras de preocupação se mantiveram e uma delas foi a correr chamar a minha médica... Eu bem perguntava o que se estava a passar... mas não me diziam nada... A médica veio logo e pediu que me algaliassem e pusessem imediatamente a oxigénio... pediu também que parassem com a oxitocina. O João estava em sofrimento e a receber pouco oxigénio. Durante alguns instantes percebi que ponderavam a hipótese de me fazerem cesariana ou então aguardar mais um pouco, uma vez que o ritmo do coraçãozinho do meu bebé tinha normalizado entretanto. A opção foi aguardar, sempre debaixo de um controlo rigoroso por parte das enfermeiras.

Como imaginam estava desesperada... preocupada e o papá sem saber de nada porque eu não tinha o telemóvel comigo...

Passei o resto do tempo atenta ao coração do João... era a única coisa que me importava ouvir naquele momento... a angústia apoderava-se de mim a cada contracção porque deixava de o ouvir ou então ouvia-o como se estivesse muito longe, dentro de um poço fundo... mas depois voltava ao normal.

A partir daqui a situação foi evoluindo sem mais percalços até que comecei a sentir as "dores de parto", sentia uma vontade de fazer cocó muito dolorosa... uma enfermeira fez-me o toque e... dilatação completa, o João queria nascer! Mandou-me começar a fazer força a cada contração e chamou a outra médica que estava de serviço para me avaliar. Aqui começou a pior parte... que me levou ao descontrolo e ao desespero total. A dita médica fez-me o toque e disse: "Ela que espere mais 40 minutos e pare de fazer força porque vamos agora fazer uma cesariana. Ela que aguente que ainda está muito atrasado." Ora... eu sei que a médica é ela, mas a minha intuição e a cara da enfermeira fez-me ter a certeza de que o João não queria esperar tanto e que ia ser um risco contrariar o que o meu corpo me dizia a cada contracção... para fazer força... Tinha a certeza que o facto de contrariar o meu corpo estava a fazer sofrer o nosso filhote... Confesso que ignorei a médica e continuei a fazer força moderadamente... claro que estava mais que preocupada e revoltada, principalmente por saber que a minha ginecologista não sabia o que se estava a passar.

Quando finalmente acabaram a tal cesariana, a mesma médica foi observar-me e voltou a dizer que o João estava muito subido e que estava tudo muito atrasado. Passei-me e comecei a gritar... de revolta e de dores também... Tive vontade de a esganar! Poucos minutos depois veio a minha médica e, após fazer-me o toque, mandou que me levassem IMEDIATAMENTE para a sala de expulsão porque o João estava a nascer! Enquanto me levavam ela pediu-me o número do George e ligou-lhe a dizer: "Venha já para cima, ou já vem tarde!"

Eu só fazia era chorar... e comecei a perder o controlo sobre a respiração... hiperventilei e nada nem ninguém me estava a conseguir acalmar... Quando o papá do João chegou fiquei ainda mais emocionada... mas sabia que ele me ia tranquilizar... juntamente com a minha médica, que foi incansável! Consegui finalmente trazer a mim o fôlego necessário para o João poder nascer... E assim foi... 4 ou 5 puxadelas e uma ajuda de uma enfermeira a carregar na barriga e o João veio ao mundo... o período expulsivo demorou apenas 8 minutos! A médica pô-lo em cima de mim e tudo parou naquele momento só nosso... Não chorou, soltou apenas um gemido e foi-me retirado para ser visto pela pediatra... Eu só perguntava se ele estava bem ao que me iam respondendo que sim... com o papá sempre muito atento. Chorámos os dois, agora de felicidade! Uma felicidade que ambos desconhecíamos e que não sabíamos ser possível de sentir...

E assim nasceu o João: às 39 semanas e um dia de gestação, de parto eutócico com epidural, às 17h55, do dia 15 de Abril de 2008, com 3,150 kg e 48 cm, com um APGAR de 5 ao 1º minuto, de 8 ao 5º minuto. O trabalho de parto teve a duração de 7 horas que culminaram com o momento mais intenso e feliz da minha vida.
...
Nota: Os pontos! Esqueci-me da episiotomia. A médica teve que me fazer um pequeno corte que me deu direito a apenas 3 pontos! Já ouvi falar em trinta e tal, portanto, acho que até tive sorte! Três míseros pontinhos que me dificultaram a vida (e muito) e me doeram como tudo até ontem... quando mos tiraram. Hoje ainda tenho algumas dores, mas já me consigo sentar.

Nota 2: A maternidade das Caldas permite a presença dos papás (ou outro acompanhante) ao longo de todo o trabalho de parto... quando há condições para tal. Estão preparados para ter cinco mamãs em quartos individuais... Ora, com 17 partos foi impossível permitir a presença de papás porque havia muitas mamãs no corredor, sem privacidade... Assim, não entrou nenhum papá na ala da dilatação, só podiam assistir ao período expulsivo.

28 comentários:

Anónimo disse...

Isto de eu e a médica a acalmar, da enfermeira dar um último empurrãozinho, do João se por cá fora num salto.... é tudo verdade! ... mas a verdadeira heroína foi a mãe, por muito que ela diga que não e que se portou mal e que devia fazer isto e aquilo.......
amor da minha vida! FOSTE LINDA!!!!!

PatLeal disse...

Essa médica, só ao murro :(.
Foste o máximo, assim é que é :)


Jocas grandes

Celine disse...

Apesar do sofrimento tudo correu mais ou menos bem !! Só foi pena o teu marido não ter estado sempre ao teu lado pois de certeza que ias te sentir mais segura!!
Beijocas e mais uma vez parabéns pelo vosso filho lindo!!

Nina disse...

Minha nossa, deve ter sido um sofrimento, acho que dáva mesmo vontade de bater em todos e mais alguns. Mas ainda bem que acabou tudo em bem.
Tens um miminho no meu blog. :)
Jokinhas,

Liliana disse...

Concordo com as palavras lindas do papa Mara...

Eu no fim do parto do Rodrigo, também já tinha perdido o controlo e já chorava a dizer que não conseguia mais e o Pilas teve a ajuda da ventosa... Por isso Linda, foste muito corajosa e uma linda mamã que sofreu, mas que deu á luz um lindo filho!!!

Parece que não, mas quando temos o marido ao nosso lado as coisas ficam mais calmas... Aqui no Porto as salas de parto são individuais e o Marco esteve comigo do principio ao fim e acredita que ajudou imenso...

Muitos parabéns valentona e agora é aproveitar esse menino lindo e nada de dizer que te portaste mal, que eu zango-me contigo, ai, ai, ai!!!!

Agora descansa muito e dá muitos beijinhos meus a esse menino lindo está bom?! E para ti também é claro!!!!

Orange disse...

Li emocionada o relato do parto...
Felizmente acabou tudo em bem e o João nasceu saudável!
Bjcas

Cat disse...

Fiquei emocionada com o teu relato do parto amiga!!
Fico feliz por ter terminado tudo bem!
Beijinhos para os 3

AJUDA PORTUGAL disse...

A chuva do fim de semana não ajudou, a nossa historia precisa urgentemente de inspiração.
Boa semana

Nota: Parabens, para a super mamã, para o papá babado e para o nosso grande heroi o JOÃO, muitas felicidades para todos.

Silvia disse...

Foste uma valente!
Parabéns pelo filho lindo.
Beijinhos.

Sónia disse...

Eu estava aqui a ler e de coração apertado.. mesmo sabendo que no fim estavam os 2 bem...
Só espero ter a tua força quando chegar a minha altura..
beijos fortes
Sonia

Ana R. disse...

Antes de mais, parabéns pelo filhote!
Tive conhecimento do teu blog, através do blog do Zé (lote 24), e tornei-me assídua, para acompanhar os passos da tua gravidez. Eu não sou mãe, sou uma tia babadíssima, e acompanhei as gravidezes da minha irmã muito intensamente e por isso mesmo, percebo perfeitamente a emoção que é a chegada de um bébé às nossas vidas. Tudo se altera, e as prioridades mudam completamente. A felicidade completa!!

Só te quero desejar as melhores felicidades para a vossa nova vida a três, e que tudo corra sempre pelo melhor.
Beijinhos para o João.

Ana Rocha

Anónimo disse...

até eu chorei a ler isto! Nunca ninguém me ganhou a jogar ao braço de ferro...

Amo-te

RQ

simone disse...

É realmente um momento inesquecivel aquele em que sentimos o nosso bebé sair de nós, tenha corrido bem ou menos bem o trabalho de parto. Também eu como tu não queria epidural mas acho que não tinha noção de como as dores são intensas e quase nos fazem perder os sentidos (daí eu dizer sempre que mais vale não pensar mto nisso antes).
Correu tudo bem, o João nasceu com saúde que é o mais importante, tudo o resto esquecemos logo, mesmo esses profissionais que não deviam exercer!
Um beijo enorme para vocês :o)

mamã ET disse...

PARABENS!!!!!
Que felicidade!!!
Que emoção!
Beijocas grandes para a mamã e para o João...

bebecas e bebé disse...

Olá amiga, parabéns atrasados. O teu João é lindo. Parabés aos papás babados. Beijos

the moon disse...

Subscrevo as palavras do papá: foste uma valente! Apesar do sofrimento, tudo acabou bem!

Há relatos que me deixam um pouco apreensiva, sobretudo no que diz respeito à atitude de muitos médicos e enfermeiras! Não compreendo! Às vezes chego a pensar que se estivesse no lugar de mts pessoas, não conseguiria controlar a minha impulsividade.

Linda, aproveita o teu bebé! Tenho a certeza de que, embora a nossa vida mude completamente, a Felicidade é plena, mais completa.

Um grande beijinho para ti

Obs.: É verdade! E os pontos? Já os tiraste no domingo, não foi? E que tal? Está a cicatrizar bem?

Tita disse...

Foste uma valente, parabéns!
É pena não teres tido o teu marido sempre a teu lado, de certeza que teria sido tudo muito mais fácil para ti e terias ajuda para partir a cara da médica, eh, eh! É pena alguns hospitais não valorizarem o trabalho de parto a dois e não arranjarem forma de o implementarem. Eu nisso tive sorte, tive o meu maridinho sempre ao pé de mim. E o teu relatório de parto é muito semelhante ao meu, à excepção que o coraçãozinho do teu João estabilizou, mas o da minha filhota não, pois tinha uma circular à volta da cabeça e quando fazia havia 1 contracção ficava quase sem circulação de sangue. Como ainda estava a + ou- 2horas do parto, a médica não sabia o que se passava e a situação tendia a piorar, foi cesariana.
Mesmo assim acho que a assistência que te fizeram não foi das melhores porque num caso assim deveriam tentar fazê-lo nascer logo que sentiste que ele queria vir cá para fora. Se calhar a isso se deveu o indice de apgar ao 1.º minuto...
Bom, mas o que interessa é que agora está tudo bem, né?
Muitas felicidades para os 3 e que a estrelinha da sorte acompanhe para sempre o João!

SRC disse...

so me apetece chamar nomes feios a medicas como a que disse "ela q espere!"... gente assim nao devia ser medica!
claro q me puseste em lagrimas... mesmo ja sabendo o final da historia, fiquei angustiada ao ler as tuas dores.
desejo-vos tudo de bom!
um grande beijinho

Maria José disse...

Olha miminho para ti no meu blog.
bjs

Beatriz e papás disse...

Olá amiga, tens um miminho no meu blog. Beijos

Sofia e Pedro disse...

Olá querida Mara, bem-vinda a casa, espero que a tua recuperação está a decorrer da melhor forma possivel. Sim, de facto 3 pontos são poucos, quando comparados com algumas dezenas...
Confesso que li o teu relato muito emocionada, imagino a tua angústia, a tua preocupação e, ao mesmo tempo, a felicidade brutal que sentiste no momento em que o João nasceu, saudável e desejoso de receber todo e mais algum miminho dos pais!
Tive oportunidade de ver as fotografias do teu filhote, ele é lindo, mamã! Tão perfeitinho, tem uns traços faciais muito bonitos, parabéns :-)
Ah, é verdade, obrigada pela mensagem, gostei muito do carinho!
Beijinhos xl,Sofia,Pedro e Joana

*Cintia* disse...

Olá .. o teu bebe é lindo.. Parabens e Felicidades*
Adorei o teu blog.. Passa lá no meu novo blog.. ainda está a começar..
Espero que gostes..
http://www.atelierascores.blogspot.com

Silvia disse...

parabens pelo filhote e pela coragem q sempre revelaste...parabens ao papá...Jokas

Ana e Kiko disse...

Grande Mulher k és Mara, Parabéns.
Realmente há pessoas k n deviam exercer certas profissões... mas o k interessa é k a tua medica apareceu e coreu tudo bem no fim.
Parabéns e 3 pontos digo-te sim senhora o João deve ser uma bolinha.
Parabéns.
Bjs

Ana e Kiko disse...

Miminho á vista no meu blog!
Beijocas Trakinas

Sofia e Pedro disse...

Querida mamã, tens um miminho no meu blog, espero que gostes!
Beijinho,Sofia,Pedro e Joana

agarraavida.blogspot.com disse...

Sabes a única felicidade do parto é mesmo o momento em que pegamos o nosso filhote no colo, pk o resto... é terrível. Mas tudo correu bem e já tens o teu bebé nos braços.
Beijinhos.

Tété & Xavier disse...

Fico sempre emocionada com leituras de partos e o teu apesar de ter sido só 7 horas (e dizes tu SÓ?! Comparando com as minhas 36 horas claro ;o)) são sempre momentos de muita angústia que felizmente culminam numa imensa felicidade.

Realmente na Hora H bem que podemos ter 1.000 pessoas acompanhar-nos que em nada substituem a presença do papá e somente eles nos conseguem acalmar.

Parabéns mais uma vez pelo teu João e que ele traga ainda mais alegria às vossas vidas.

Beijos grandes.
Tété & Xavier