terça-feira, 25 de novembro de 2014

Mais do mesmo

Isto já se começa a parecer com um muro das lamentações ou o diário de uma mãe com cancro, mas olha... não me tem dado para muito mais. Ando muito esquisita e não me sinto eu. A medicação que estou a fazer de preparação para o tratamento está a abalar-me muito.

Estar longe dos meus pais e irmãos e dos meus amigos também não ajuda nada. Sinto-me sozinha e custa-me ter que estar sempre dependente da boa vontade da minha sogra e da única amiga que tenho aqui. E depois ponho-me a pensar... estou a viver aqui há 11 anos e só tenho uma Amiga, que me tem valido por mil, mas a quem ando, julgo eu, a sobrecarregar. E tenho a minha sogra que tem sido incansável, que está sempre disponível para me ajudar, que vem buscar o Pedro para eu poder ficar mais sossegada, que me fica com os três para eu poder descansar. Mas que tem setenta anos e também me custa estar sempre a pedir-lhe ajuda. Embora ultimamente nem seja preciso pedir nada que ela parece que adivinha e está sempre a disponibilizar-se para tudo.

E é isto. Faltam menos de três semanas para ser internada e a ansiedade vai crescendo. E sei que ainda falta a parte mais difícil da preparação que são as duas semanas em que vou parar totalmente com toda a medicação para a tiróide e, aí sim, vai ser a doer.
Cada vez que um ano se aproxima do fim, começo a pensar no que me trará o próximo. Caramba, tirando os meus filhos que são a maior alegria que tenho na vida, estes últimos anos têm sido uma bela merda. Já acabávamos com este ciclo, não...?

6 comentários:

susana paiva disse...

Tem calma..... vai correr tudo bem,realmente estás a passar um mau bocado, mas pensa que Deus te está a dar uma oportunidade... tens que a aproveitar! Em relação à tua amiga, essa é realmente a verdadeira amiga, de que vale ter muitas amigas e na hora da necessidade, nenhuma delas te dá a mão?! Beijinhos e muita força!

Marlene, Simão e Martim disse...

Oh querida! Sei que não deve ser nada fácil. Pena estarmos longe!
Só te posso mandar um beijo e um abraço apertadinho. Tu vais vencer e o próximo ano vai compensar-te pelos maus anos passados. Gosto muito de ti! Beijo doce

Manuela disse...

Sem a pretensão de te conhecer, te digo que esta não será a melhor altura para fazer uma introspecção ou fazer uma retrospectiva dos bons ou dos maus momentos. Porque estás doente, sensível e acima de tudo porque a medicação está a alterar a forma como pensas e sentes. O cancro da tiróide não me é estranho. Há uns anos a minha irmã passou por algo semelhante. E, tal como tu, pôs em cima da balança tudo: o não ter filhos e ter que desistir (por motivos vários) desse desejo, o não ter ninguém (que não seja do sangue, claro está) do lado dela a dar-lhe força, enfim um rol. Mas passou. A "ferida" curou. E está pronta para a luta. As próximas semanas não vão ser fáceis, é verdade, mas fazem parte do processo de cura e é nela que tens que te concentrar e ir buscar forças. Mas é claro que também tens todo o direito de te queixar, lamuriar, chorar, faz parte do processo e seria estranho se não o fizesses. E que este blog te sirva de catarse se isso ajudar-te de alguma forma. Escreve, descarrega à vontade. Cá estaremos deste lado.

Tella disse...

UM BEIJO DO TAMANHO DO MUNDO. és grande. Bjos

Anónimo disse...

Não desanime... Tem que ser forte por si e pelos seus filhos! O próximo ano vai sorrir-lhe mais, acredite.
Beijo e voltarei a rezar por si esta noite
Sandra

Té Lima Pires disse...

Beijinho no coração... paciencia :) e muito mimo :)